OMS sobre Covid no Brasil: "É muito, muito preocupante"

Atualizado: 6 de Dez de 2020

Diretor-geral da Organização Mundial da Saúde fez o alerta quando o Brasil passou de 170 mil mortos



O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que a situação da pandemia de Covid-19 no Brasil é "muito, muito preocupante". A declaração foi dada durante uma entrevista coletiva em Genebra, nesta segunda-feira, 30. Segundo o representante da OMS, "o Brasil deveria levar isso muito, muito a sério. É muito, muito preocupante".


Leia também: Médica diz que situação é pior hoje do que no início da pandemia


- O Brasil teve seu ápice em julho. O número de casos estava diminuindo, mas em novembro os números voltaram a subir. O Brasil precisa levar muito, muito a sério esses números. É muito, muito preocupante- disse Tedros.

Na semana passada, dados do Imperial College de Londres apontaram que a taxa de transmissão do novo coronavírus foi a maior desde maio. O índice estava em 1,30 – cada 100 pessoas contaminadas transmitem o vírus para outras 130 pessoas. Segundo o G1, a última vez que a taxa de transmissão no Brasil esteve tão alta foi na semana de 24 de maio, no pico da pandemia, quando atingiu 1,31.


- Precisamos controlar os casos e manter os números baixos. Os países precisam atacar os casos que ressurgem para que eles não se propaguem. Essa é a recomendação para todos os países. Uma vez que você reduz o número de casos, você precisa manter esse número baixo”, completou a líder técnica da entidade, Maria van Kerkhove.


Segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa, o Brasil tinha, até as 13h desta segunda-feira (30), 172.866 mortes por coronavírus confirmadas e mais de 6,3 milhões de casos.