Palácio São Domingos, no Centro de Niterói, tem entrada deteriorada

Moradores protestam em redes sociais contra a falta de monitoramento e de reparos no edifício tombado como patrimônio histórico


Por Livia Figueiredo

O Palácio São Domingos, no centro de Niterói / Foto: Marcos Roque da Luz


O Palácio São Domingos, antigo prédio da Secretaria Estadual de Fazenda, edifício próprio do Estado do Rio de Janeiro e tombado pelo INEPAC e pela Prefeitura Municipal de Niterói como patrimônio histórico, teve o portão deteriorado no último sábado de fevereiro. Moradores da região se manifestaram nas redes sociais quanto ao estado do edifício. O prédio fica localizado na Rua Marechal Deodoro, esquina com a Rua Visconde do Uruguai, no Centro de Niterói, e é o primeiro imóvel e também o que mais tempo tem abrigado órgãos da administração pública estadual do Rio de Janeiro.


Usuários manifestaram a falta de manutenção e reparo no local em redes sociais. “O que falta para um incêndio ou o colapso do telhado? Depois os técnicos do INEPAC reclamam porque entro com tantos processos na Justiça e representações no MPRJ”, afirmou uma pessoa, que preferiu não se identificar, em uma rede social.


Outro usuário aproveitou o momento para se queixar quanto à demora da vacinação em massa contra a Covid-19. “Eles não se preocupam com os seres humanos, vão se preocupar com prédios antigos? As vacinas andam a passos de tartarugas, não sai de 80 anos”, escreveu.


Questões como falta de controle e o descaso com o patrimônio da cidade também foram colocadas em cheque:


“Muito triste! Um descaso! Sem policiamento fica difícil”, “Muito triste ver um predio grande desse apodrecendo em pleno centro de Niterói! Uma vergonha, pois está enfeiando a nossa Niterói. Por que não fazer uma escola ou hospital para aproveitar o espaço?", afirmou uma pessoa que preferiu se manter anônima.


Em nota, a assessoria do Governo do Estado informou que o portão do Palácio São Domingos foi danificado devido à queda de uma árvore, que derrubou o gradil e a coluna que sustentava o portão. Já foi realizada no local uma limpeza do terreno, em conjunto com a Companhia de Limpeza de Niterói, e está prevista uma licitação para o reparo do muro.


O prédio do Palácio São Domingos está inserido em um projeto da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, ainda em desenvolvimento, que visa promover o adequado uso dos imóveis que não estão em utilização pela administração estadual. Estão previstas intervenções pontuais e emergenciais no imóvel, visando sua guarda e conservação.


Histórico


O Palácio São Domingos era inicialmente um sobrado, construído no início do século XIX para ser residência de um rico comerciante de escravos. Ele foi adquirido para residência oficial de verão em Niterói do imperador Dom Pedro I, na época seu nome era Palacete Praia Grande, em referência, à Vila Real da Praia Grande, que antecedeu ao centro da cidade.


Poucos anos depois da abdicação de Dom Pedro I, a Província do Rio de Janeiro primeiramente alugou do espólio do imperador (1834), transformando em sede de suas secretarias. O Palácio foi o primeiro imóvel incorporado ao patrimônio do Estado do Rio de Janeiro (1835) e tem abrigado órgãos da administração pública estadual continuamente desde então. O edifício inicialmente abrigou a sede da Tesouraria Geral e da Guarda Policial da província.


Foi sede do governo estadual até 1892, quando o acontecimento da Revolta da Armada fez com que a capital do estado fosse transferida de Niterói para a cidade de Petrópolis, instalando-se no Palácio Rio Negro.


Em 1910, após um incêndio, o edifício passou por uma grande reforma, ganhando o traço arquitetônico atual durante o governo de Alfredo Backer. O governo do estado realizou reforma e restauro para abrigar a sede da Secretaria de Estado de Trabalho e Renda (Setrab). Atualmente o edifício do Palácio São Domingos está desocupado.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.