Pandemia é explicação para atraso na abertura do Mercado de Niterói

Restrições de público fazem consórcio empurrar inauguração para outubro


O Prefeito Axel Grael em visita às obras do Mercado Municipal


O calendário político apressou a entrega do novo Mercado Municipal, no ano passado. O então Prefeito Rodrigo Neves programou a "inauguração" do prédio para o aniversário da cidade, 22 de novembro, entre o primeiro e um segundo turno da eleição que acabou não acontecendo. O Prefeito eleito, Axel Grael, estava lá, e celebrou a recuperação do prédio estilo Art Decó de 1930, tanto tempo abandonado. A previsão de funcionamento das lojas passou para janeiro, maio e, nesta sexta-feira (5), para outubro. Se a eleição apressou a obra, a Covid atrasa o funcionamento do mercado.


Leia mais: Entrega do Mercado Municipal atrasa, e local só será inaugurado em outubro


O consórcio que vai gerir o Mercado bem que tentou apressar a entrada em operação. Mas o prolongamento da Covid e as restrições exigidas para a abertura, como o controle de público e a distância exigida entre os clientes, além de todos os controles sanitários, tornaram o negócio difícil. A saída foi investir nas obras do Boulevard para abrir mais tarde, já com o impacto da vacina no controle da pandemia.


A visita do Prefeito Axel Grael ao prédio mostra que as obras ainda estão bastante atrasadas. De acordo com o Prefeito, em março serão concluídas as obras do entorno do Mercado. A previsão é que em julho seja entregue a obra do prédio para os lojistas instalarem seus espaços e, em outubro, aconteça a inauguração do Mercado.


Big Brother Niterói: Cidade tem 212 câmeras captando tudo que acontece nas ruas


Quem passa pelo local percebe o andamento dos trabalhos, pela estrutura metálica que está sendo construída. Ali vi funcionar o Boulevard, que vai abrigar o Beer Garden, espaço voltado para as cervejarias artesanais do município, e o jardim das flores. Em seguida, será feita a pavimentação da área do estacionamento. O edifício da Avenida Feliciano Sodré abrigou o Mercado Municipal da cidade de 1930 a 1976 e depois passou a ser o Depósito Público Estadual. Ficou abandonado por mais de 30 anos, até o projeto de revitalização, uma Parceria Público Privada (PPP) no valor de R$ 69 milhões - sendo R$ 30 milhões destinados à reforma do prédio.


O mercado terá 180 lojas que já estão em fase de habilitação para os empresários e produtores que quiserem se candidatar a ter um ponto de comércio no local. A intenção é trazer para o Novo Mercado Municipal pequenos produtores de Niterói e do interior do estado do Rio, que hoje só têm a Cadeg como opção para levar seus produtos. O local abrigará floriculturas, uma vila cervejeira, oferecerá verduras, legumes, produtos tradicionais da região, terá açougue, empórios especiais, produtos gourmet, queijos, laticínios e especiarias. No mezanino, ficarão restaurantes, cervejarias artesanais e uma adega.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.