Pequenas e médias empresas de Niterói terão socorro na pandemia

Prefeito anuncia que vai alterar o Supera, que não estava funcionando bem


Por Carolina Ribeiro



Insatisfeita com o andamento do Niterói Supera, o programa de empréstimo a juro zero para empresários da cidade, a prefeitura de Niterói vai anunciar uma nova estratégia de apoio às pequenas e médias empresas. A informação foi dada pelo prefeito Rodrigo Neves em pronunciamento nas redes sociais nesta quarta (24). O programa vinha sendo alvo de muitas críticas, especialmente pela dificuldade de adesão das empresas.


De acordo com o prefeito, a estratégia, que não foi divulgada, está em processo de finalização pela Secretaria Municipal de Fazenda. O início da nova ação, que envolve apoio ao capital de giro das empresas, está marcada para a próxima semana.


- É uma uma questão fundamental, porque o Brasil vai ter em 2020, provavelmente, a maior queda já registrada do PIB em mais de 100 anos. São as pequenas e médias empresas, se apoiadas, que poderão sustentar a retomada da economia mais a frente - disse Neves.


Na segunda-feira, o prefeito já havia anunciado que vai lançar um plano de apoio a retomada da economia, principalmente focado em inovação e no setor de óleo e gás.


Casos

Niterói chegou a 4.663 casos de Covid-19 confirmados até o momento. Semana a semana, o número de novas pessoas internadas e de casos ativos da doença está diminuindo. Na quarta (24), eram 698 doentes em isolamento domiciliar, um dos menores índices desde o início da testagem em massa em maio, e 116 hospitalizados. A cidade também registrou 187 óbitos e 3.662 recuperados.


De acordo com o secretário de Saúde de Niterói, Rodrigo Oliveira, a procura de pacientes por leitos de hospital também está diminuindo. Depois de a cidade registrar quase 100% de ocupação nos leitos privados e sobrecarga nos públicos em maio, hoje a taxa total de ocupação é de 35%.


Ao todo, a cidade tem 468 leitos para pacientes de Covid-19, sendo 262 vagas públicas e 206 no setor privado, segundo a prefeitura. Mas este número já foi maior. Devido a baixa demanda nos hospitais privados, o número de leitos foi reduzido e alas exclusivas já puderam até ser fechadas e transformadas em mais espaços para outros atendimentos.

O Complexo Hospitalar Niterói (CHN), no Centro, havia reservado duas unidades para Covid-19, mas devido à redução de casos, pôde manter apenas uma, a unidade I, no térreo da Rua La Salle. Outros quatro prédios do CHN são unidades verdes, voltados ao atendimento das emergências e tratamento das doenças crônicas: oncologia; transplante; materno-infantil; pediatria; neurologia e cardiologia.

O Hospital Icaraí, também no Centro, informou que está mudando, gradativamente, o perfil de Centro de Terapia Intensiva voltada para o Covid-19 em um Centro de Terapia Intensiva clínico, devido às outras patologias estarem começando a retornar e a procura de pacientes de covid a diminuir. O hospital ressalta que leitos não serão fechados, mas transformados em CTI's clínicos.

728x90.gif

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.