Pico de casos e mortes por Covid-19 já se prolonga por dois meses em Niterói

Atualizado: Jan 25

Semana fechou mais uma vez com mais de mil novos casos, 26 mortes e novo recorde de hospitalizados, 262 no SUS


O Prefeito Axel Grael em visita ao Hospital Oceânico. Foto: Prefeitura


Niterói prolonga a segunda onda da Covid. O último boletim divulgado pela Prefeitura, revela que a cidade registrou 1.013 novos casos da doença e 26 mortes, na terceira semana epidemiológica do ano. É uma queda em relação às duas últimas semanas, mas os números são altos e se mantêm perto do pico. A Prefeitura não divulga a evolução da doença, apenas reporta, diariamente, os números acumulados. No boletim do último sábado, aparece um total de 26.818 contaminados e 715 mortes, desde o começo da doença. O A Seguir: Niterói compila estes números e organiza por semanas epidemiológicas, de acordo com o padrão da OMS.


A primeira onda da doença começou em maio, em Niterói, quando a cidade registrou o pico de casos e mortes. Pode-se dizer que durou 12 semanas. Mais fortemente em maio e junho, ainda com números altos em julho, começando a cair em agosto. Setembro e outubro mostraram a estabilização da doença, embora com um número de ocorrências ainda considerado alto, o que os especialistas chamaram de "platô da doença". Os números voltaram a crescer, rapidamente, a partir de novembro e, em dezembro, a Secretaria de Saúde confirmava a existência de uma segunda onda da doença, desenhando um novo pico de casos e mortes. A segunda onda já dura oito semanas, escapando do platô até registrar 1.500 casos e 37 mortes, em apenas sete dias.



O gráfico mostra o momento em que o número de novos casos de Covid salta de uma média semanal em torno de 500 registros para 826, 1.341 e 1.500. Nas últimas sete semanas, a cidade teve mais de 1.000 novos casos por semana, mais do que registrou durante toda a primeira onda da doença. Os dados são dos boletins da Prefeitura, compilados pelo A Seguir: Niterói.


A segunda onda já mostrou que atinge números maiores do que a primeira escalada da doença, a partir de maio. Foram quase três meses com cerca de três mortos por dia. A nova série já dura oito semanas, e tem o maior registro de mortos desde o início da pandemia, 37, na primeira semana de 2021. Os dados são dos boletins da Prefeitura, compilados pelo A Seguir: Niterói.


A Prefeitura divulgou também neste sábado o número de pessoas internadas na rede do SUS, em leitos e UTIs. Foi um novo recorde, 262, depois de recordes que se sucedem desde novembro, quando havia uma média de 100 pessoas internadas. Além disso, há 250 internadas na rede particular, de acordo com dados do SINDHLESTE. E outras 198 em atenção domiciliar.


O gráfico registra o número de pessoas internadas pelo pico de cada semana. Desde novembro, os recordes se sucedem: 148, 168, 177, 198, 240 e agora 262 hospitalizados, de acordo com o boletim da Prefeitura divulgado neste sábado (23).

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.