Pintor que trabalha como motorista de ônibus em Niterói sonha em participar de primeira exposição

Atualizado: Fev 1

Michel França mora em Maricá, mas trabalha na cidade niteroiense, que já o inspirou em alguns quadros


Por Gabriel Gontijo

Michel França em frente a uma das pinturas que criou. Foto: Divulgação


Nunca é tarde para lutar por um sonho. É esse o lema de vida do artista plástico Michel França, de 46 anos. Morador do bairro de Cordeirinho, em Maricá, atualmente trabalha como motorista de ônibus em Niterói. Mesmo com a rotina profissional cansativa, ele sempre arruma um tempo para fazer o que mais gosta. As pinturas. E é por isso que ele busca realizar um desejo antigo, que é o de expor suas telas em uma exposição.


O interesse pela arte começou ainda menino, com 12 anos. Na ocasião, pintou sua primeira tela à base de tinta óleo. Com a impossibilidade de continuar usando o pigmento devido aos problemas pulmonares de seu pai, o pequeno artista acabou desenvolvendo outras habilidades e técnicas que o levaram à conquistar, ainda na adolescência, o Festival de Pintura da Mesbla/Disney, aos 15 anos, e o Prêmio de Ouro entre civis e militares aos 19, sendo o primeiro militar a conquistar tal feito.


Atualmente, mesmo com o cotidiano estressante no caótico trânsito niteroiense, ele consegue enxergar aspectos da paisagem urbana de Niterói que lhe servem de inspiração. Foi o caso de uma releitura que fez de um prédio localizado na esquina da Avenida Ernâni do Amaral Peixoto com a Rua Visconde do Rio Branco, no Centro. Ele fez uma releitura sobre uma foto do local, sendo que a ideia surgiu durante o início da pandemia.


- Este edifício se localiza perfeitamente diante do itinerário onde eu sempre circulo quando estou trabalhando no ônibus. Foi muito marcante o dia onde me veio a inspiração para realizar uma arte sobre esta foto, pois aconteceu exatamente no início da quarentena. E mesmo em um período tão intrigante, eu pude ter o privilégio de apresentar este trabalho como uma forma de carinho e um gesto de homenagear uma linda princesa que chama-se Cássia Arruda, na qual havíamos acabado de iniciar um namoro. Isto vai fazer um ano e, felizmente, hoje estamos noivos. Por causa disso, eu escrevi o nome dela no início da pintura - revela França, que também afirma que apesar de estar "fixado" na função de rodoviário, consegue observar "no volante e a cada segundo" como serão as futuras obras.


Releitura criada por Michel França a partir de uma foto de um prédio no Centro de Niterói. Foto: Michel França


Ele explica que mesmo Niterói sendo um local com "pontos turísticos maravilhosos", é possível se inspirar em outros lugares conhecidos que poucas pessoas notam no dia a dia. Citando como exemplo o Parque da Cidade, Memorial Roberto da Silveira, Campo de São Bento, Horto Botânico e o Solar do Jambeiro, o pintor conta que também é possível se inspirar em " lugares apagados, como o Mercado São Pedro, a própria Rodoviária de Niterói, o Terminal, e outros mais".


O artista diz que procura variar as técnicas com bico de pena, nankim, aquarela, lápis de cor e guache, misturando arte abstrata e realismo. Mas apesar de se inspirar no que vê enquanto dirige, Michel enfrenta dificuldades para seguir com as ideias que tem. Sem o apoio necessário, ele não conseguiu participar de projetos anteriores à pandemia. E a chegada da Covid piorou essa situação.


- Minha principal dificuldade na carreira artística é não conseguir apoio ou oportunidade para expor minhas obras. Claro que penso em ser patrocinado, mas nunca consegui por falta de ideias sobre como apresentar um projeto que motive alguém, ou uma empresa, a me apoiar. Conciliar meu trabalho com a pintura é árduo e muito exaustivo, mas não deixo escapar oportunidades para também degustar um pouco destes riquíssimos cenários enquanto dirijo - explica.


Apesar da luta, ele segue com o sonho de conseguir promover um evento em um espaço onde possa expor as telas, além de dar aulas de pintura para pessoas da terceira idade. Para saber mais sobre a história e o trabalho de Michel França, basta acessar o site do artista, que é o www.vivemosarte.com.br/franca. O perfil no Instagram é o @francaartes.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.