Primeira sexta-feira de restrições em Niterói tem cenas de desrespeito

Estabelecimentos furaram o decreto municipal e permaneceram abertos ao público depois das 18h

Por Livia Figueiredo e Amanda Ares

Bar na Rua Tavares de Macedo com Álvares de Azevedo, depois das 18h. Livia Figueiredo


A primeira sexta-feira com o novo horário de funcionamento de bares e restaurantes foi de descaso em alguns pontos da cidade. Na semana em que a Covid fez recordes diários de óbitos, ainda espanta o descaso de alguns estabelecimentos frente às tentativas de combate à disseminação da doença. Na Zona Sul, Centro e Zona Norte, alguns flagras de desrespeito ao decreto publicado no Diário Oficial na semana passada, que determina que bares e restaurantes só podem funcionar até às 18h.


No bar Cerol, na Rua Tavares de Macedo, quase esquina com Álvares de Azevedo, por exemplo, parecia uma sexta-feira normal. Por volta das 19h, a maioria das mesas do estabelecimento estava ocupada, sem nenhum sinal de fechamento, até então. Na Miguel de Frias, próximo ao Ponto Jovem, um bar já tinha encerrado as atividades, mas apenas no seu interior. No lado de fora, alguns clientes ainda resistiam para tomar a saideira.

Bar na Miguel de Frias, próximo ao Ponto Jovem, em Icaraí / Foto: Livia Figueiredo


Pela segunda vez na semana, o bar Geraldinos na Gavião Peixoto quase esquina com Mariz e Barros funcionava normalmente por volta das 19h30. Um botequim na João Pessoa com a Avenida 7 de Setembro também desrespeitava o decreto municipal. Próximo de 20h, circulavam pessoas de diversas faixas etárias. O distanciamento mínimo entre as mesas pouco importava.

Bar na rua Gavião Peixoto, com Mariz e Barros, em Icaraí / Foto: Livia Figueiredo

Bar na João Pessoa com 7 de Setembro / Foto: Livia Figueiredo


Alguns bares resolveram respeitar as novas restrições, como o Friends, na rua Presidente Backer, que funcionava apenas para delivery e um boteco na Gavião Peixoto esquina com Álvares de Azevedo. A rua Nóbrega, no Jardim Icaraí, estava irreconhecível para uma sexta-feira à noite. Todos os bares estavam fechados e apenas motoboys transitavam pelo local.

Apenas motoboys circulavam pela Rua Nóbrega; todos os bares encontravam-se fechados / Foto: Livia Figueiredo


Já a cena noturna do Centro da cidade esfriou um pouco com a medida restritiva, mas não parou. O Bar do Centro, esquina da travessa Alberto Vitor com rua José Clemente, mantinha várias mesas na calçada e também no trecho de asfalto que ocupa para acomodar os clientes. Às 18:10, o lugar estava cheio e parecia longe de fechar por conta própria.

Bar do Centro às 18:10 da noite. Mesas cheias e portas abertas.


Alguns botequins, populares pela bebida e comida mais baratos, também teimaram em manter as portas abertas no bairro, como este bar na Avenida Rio Branco, quase de esquina com a Saldanha Marinho.



No Bairro Chic, Zona Norte, a boa surpresa foi no tradicional point de restaurantes nas esquinas das ruas Manuel Areal com Antônio Silva, onde todos respeitaram as restrições.


Estabelecimentos nas ruas Manuel Areal e Antônio Silva, fechados.


O Galeto Art & Beer e a pizzaria Bonna Pizza funcionaram exclusivamente para entrega de pedidos, depois deste horário. A gerente da pizzaria disse que desde a semana passada, o comportamento tem sido esse.


Mais a frente, no Fonseca, os botequins ao longo da Alameda São Boaventura, quase todos ficaram abertos até bem depois das 18h.


Niterói encontra-se atualmente com indicador síntese 9,38. Caso passe de 10, novas medidas terão que ser adotadas, pois a cidade estaria no Sinal Laranja de Alerta Máximo. Nesta quinta (11), a cidade apresentava isolamento social de 34%. O decreto, que promove medidas de restrições para conter a disseminação do coronavírus, vale por 15 dias, e pode se estender, dependendo do controle da situação. Além do novo horário de funcionamento, bares e restaurantes terão que funcionar com taxa de ocupação de 50% durante o dia. Música ao vivo está proibido.