Protestos marcam enterro de menina de 5 anos morta em Niterói

Ana Clara estava na porta de casa quando foi morta por tiros de fuzil; PM envolvido na morte da menina já foi preso




Ana Clara Gomes tinha apenas 5 anos e foi morta quando brincava na porta de sua casa, na comunidade Monan Pequeno, no Badu, região de Pendotiba, em Niterói. O crime ocorreu na terça-feira (2), e ontem familiares e amigos se despediram da menina em clima de grande emoção no Cemitério São Francisco Xavier, também em Niterói. A despedida foi marcada por protestos e gritos de pedidos por justiça.


Leia também: PM envolvido na morte da menina é preso


Ana Clara brincava com o irmão quando foi atingida por tiros de fuzil. Na hora havia um confronto na comunidade entre PMs e um grupo suspeito de ter cometido crimes na região.


Ônibus levaram centenas de pessoas chegaram para a cerimônia, por volta de 14h. Muitas delas carregam faixas e cartazes pedindo justiça. Cristiane Gomes, mãe de Ana Clara, pedia por por justiça.


-Só dor que eu estou sentindo. Quero justiça pela morte da minha filha. Para que não caia no esquecimento como muitos já caíram. Minha filha tinha só 5 anos e morreu na covardia com dois tiros de fuzil na porta de casa. Eu acho que todos deveriam pagar, só que o [policial] que está preso foi o que matou ela. Então acho que ele preso não vai trazer ela de volta, eu não confio na justiça. Vou amá-la eternamente. Não vai ter um dia em que não vou me lembrar dela - disse Cristiane.


Veja também: Violência contra negros em Niterói é denunciada à ONU

Maria dos prazeres, bisavó de Ana Clara, pediu mais respeito da polícia com a população que vive em comunidades. Moradores do Monan Pequeno também fizeram novo protesto no local onde Ana Clara foi morta, depois do sepultamento dela. No dia do crime, houve manifestações nas Estradas Francisco da Cruz Nunes e Caetano Monteiro.