Ranking da FGV põe Niterói como lugar dos sonhos para a terceira idade no Estado do Rio

Atualizado: 29 de Dez de 2020

Índice que mede a qualidade de vida para quem tem mais de 60 anos situa a cidade como a sexta melhor do país

O calçadão de Icaraí: lugar de caminhadas e símbolo da qualidade de vida do bairro

O melhor lugar do mundo é aqui, e agora - quando se fala da qualidade de vida para a população de mais de 60 anos no Estado do Rio. Os dados são do Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade (IDL) do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon e da Fundação Getulio Vargas. E não é a primeira vez que isso acontece. Na verdade, Niterói permanece na primeira posição no estado, e na sexta no Brasil. A pesquisa leva em conta as atuais condições de 876 cidades brasileiras, tendo em vista sua capacidade de atender às necessidades básicas de vida desse público. No Brasil, Niterói aparece atrás apenas de São Caetano do Sul (SP), Santos (SP), Porto Alegre (RS), São Paulo (SP) e Florianópolis (SC). Comparando com os municípios vizinhos, Niterói se destaca ainda mais: São Gonçalo só aparece no 162º lugar, Itaboraí na 190º posição e Rio Bonito em 263º lugar do ranking Brasil. O IDL 2020 confere esta posição a Niterói especialmente pela pontuação obtida em indicadores como: bem-estar (88,0), cultura e engajamento (85,4) e habitação (78,2). Dentre os pontos de destaque estão a grande quantidade de idosos com acesso a planos de saúde e o fato de Niterói ser uma das dez cidades com maior quantidade de estabelecimentos de condicionamento físico.

A Secretaria do Idoso, em parceria com o Centro de Convivência Helena Tibau, da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, tem promovido atividades virtuais de Ioga, Arteterapia, uso do smartphone, idiomas e cuidados com a saúde física e psicológica para atender aos idosos durante a pandemia. - As atividades desenvolvidas prezam não apenas pela parte física, como também a saúde mental dos nossos idosos - destaca o Secretário Municipal do Idoso, Michel Saad Neto. E completa: “precisamos prezar pela qualidade de vida deles. O equilíbrio físico e mental é essencial para evitar problemas de saúde e depressão. Além de reforçar o vínculo familiar e diminuir a solidão.