Time niteroiense de vôlei faz vaquinha para disputar Superliga Masculina B

Niterói Vôlei Clube conseguiu acesso graças à desistência do Tijuca, mas corre contra o tempo para se inscrever na competição

por Gabriel Gontijo

O Niterói Vôlei Clube: vitória. Foto Divulgação

O que era sonho tornou-se realidade. O time masculino do Niterói Vôlei Clube conseguiu acesso para a Superliga Masculina B, a segunda divisão da modalidade, após a desistência do Tijuca, clube da cidade do Rio. A equipe niteroiense foi a segunda colocada no grupo 5 da competição, mas não obteve o acesso dentro de quadra porque, de acordo com o regulamento, apenas os vencedores de cada grupo passavam para a segunda divisão. O anúncio da vaga aconteceu neste sábado (5). Apesar da oportunidade, o clube corre contra o tempo pois precisa confirmar até essa quarta (9) a participação no torneio. Para isso, precisa pagar uma taxa de R$ 5 mil à Confederação Brasileira de Vôlei. (CBV) E além desse valor, o Niterói Vôlei Clube criou uma vaquinha virtual com o objetivo de arrecadar mais R$ 215 mil, totalizando 220 mil reais. Em entrevista exclusiva ao A Seguir: Niterói, o gestor Marcos Senatore explica que o valor da taxa é o menor dos custos. A maior parte da quantia destina-se ao auxílio em logística de viagens, ajuda de custo de atletas, técnicos, fisioterapia, médico, exames de Covid e custos emergenciais que surjam ao longo da competição. Fundado em 2004, o clube suspendeu as atividades em 2010 e só voltou a ter um time profissional neste ano. Entretanto, a parceria com o Clube do Rio foi encerrada e o time precisou encontrar um novo local de treinamento. Atualmente realizando as atividades no Combinado 5 de julho, no Barreto. Ele comentou a respeito dessa situação e ainda falou sobre uma possibilidade de apoio da Prefeitura de Niterói. - Estávamos em negociação com a diretoria do Canto do Rio para tentar voltar a treinar lá, mas, infelizmente, não foi possível concretizar. Seguimos no Combinado 5 de Julho que tem nos dado todo apoio. Em relação a um apoio da prefeitura, temos pessoas buscando essa parceria, que pode ocorrer em 2021. Acreditamos nessa possibilidade - Conta Senatore, que tem experiência em gestão em clubes como o Sesc RJ e o Sesi SP.

Técnico campeão pelo Botafogo é o comandante do time niteroiense O treinador responsável por comandar o Niterói Vôlei Clube é Walner Santos, atual campeão da Superliga Masculina B com o time do Botafogo, Nascido e criado na cidade, ele falou ao A Seguir: Niterói que sentiu-se motivado com o desafio pelo fato de poder dirigir um time da terra natal. Com anos de experiência nas categorias de base do Botafogo, ele foi promovido para o time profissional e na primeira vez que comandou a equipe conseguiu o título da Superliga B e, consequentemente, o acesso para a elite. Mas mesmo com a conquista, o clube acabou com a equipe profissional de vôlei a apenas 10 dias da estreia na divisão de elite por problemas financeiros. No Campeonato Carioca da modalidade, o Niterói Vôlei foi derrotado pelo Tijuca (3 a 0), Flamengo (3 a 1) e venceu o Campos por 3 a 2. Santos recorda que as dificuldades no início dos treinamentos tornaram-se ainda maiores por causa da pandemia. Por isso, o estadual foi um torneio considerado como um preparatório para a Superliga. -O time sofreu no início da competição porque foi montado praticamente em cima da hora por causa da pandemia. Demoramos demais para termos autorização para usar os ginásios para treinos e isso atrapalhou muito a equipe para conseguir encontrar um padrão ideal de jogo. Então, o objetivo maior foi usar o campeonato estadual como um laboratório na Superliga C - explicou o técnico. Para quem quiser ajudar na vaquinha virtual, o link da campanha do Niterói Vôlei Clube é o https://www.vakinha.com.br/vaquinha/campanha-niteroi-volei-clube-na-superliga-b


© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.