Presente de Dia das Mães: gestante que deu à luz com Covid deixa o hospital

Atualizado: Mai 9

Ingryd Santos passou mais de um mês internada com Covid grave: teve seu bebê e chegou a ser entubada duas vezes no Hospital Icaraí


Bebê de Ingryd nasceu em abril. Foto: arquivo pessoal


O cenário de pandemia mudou o dia a dia de todos desde o ano de 2020. Adiou encontros, as pessoas tiveram que se acostumar e se adaptar a tecnologia para matar a saudade e tornou datas comemorativas, para alguns, em um momento muito mais especial. O dia das mães, que acontece neste domingo (09), está cheio de ressignificações, principalmente para famílias que terão suas mães curadas da Covid-19, depois de terem sido internadas e passado dias longe do seu lar.


Ingryd Torres Wogel Santos, de 25 anos, ficou internada desde o dia 05 de abril de 2021, no Hospital Icaraí, onde tem quase 100 leitos específicos para atender pacientes com a Covid-19. Ingryd esteve em estado grave, foi entubada duas vezes, teve seu bebê no terceiro dia de internação, e acaba de receber alta neste sábado (8) para curtir seu primeiro dia das mães com seu bebê, nascido no dia 07 de abril.


- Desde que começou a pandemia, fizemos tudo como foi orientado. Me preocupava com minha família, meus pais e meus irmãos. Quando engravidei, o medo aumentou, e seguimos nos protegendo: não recebíamos visitas e o trabalho era em home office. Mas então, o que mais temia aconteceu, estava com os sintomas e fui internada. Mas quando veio a internação logo se iniciou uma grande corrente de oração de tantas pessoas envolvidas que não posso mensurar. Pessoas conhecidas, outras não, familiares, amigos e colegas de trabalho. Todos em um só propósito. Sou muito grata a Deus pela minha recuperação, pela minha vida e também aos médicos e toda equipe de enfermagem, que, com muita paciência, dedicação e cuidado, fizeram de tudo para que eu pudesse melhorar daquela enfermidade -, conta Ingryd.


Ingryd, ainda grávida. Fotos: Arquivo pessoal


Ingryd e seu marido esperavam por Bernardo com ansiedade, porém ela teve que fazer uma intervenção na gestação para poder cuidar da sua saúde e o que acontece com as gestantes na hora do nascimento de seus filhos não aconteceu com a paciente.


- Não conheci nem amamentei meu filho que hoje está fazendo 1 mês de vida e ainda não pude encontrá-lo. Estou muito ansiosa por este encontro que tem sido amenizado por fotos e vídeos que minha mãe envia para mim. Só penso em encontrá-lo, beijá-lo e pegar no colo pela primeira vez - conta Ingryd, que estava com uma imensa expectativa da alta hospitalar para que possa conhecer seu filho já tão amado.


Segundo a doutora Jaqueline Pais, coordenadora da Clínica Médica do Hospital Icaraí, Ingrid está se recuperando bem do quadro respiratório e da força muscular, que são complicações comuns de um quadro grave da doença.


- Graças a uma equipe multidisciplinar experiente, da UTI e Unidade de Internação do Hospital Icaraí, a paciente vem apresentando melhora evolutiva importante e terá que continuar o acompanhamento com fisioterapia respiratória e motora em casa, após a alta hospitalar, para resolução total do quadro - explica a dra. que ainda faz um alerta: “É importante procurar atendimento médico assim que apresentar os primeiros sintomas para que possa ser feita a avaliação e orientação adequadas do paciente”.


- Não vejo a hora desse dia chegar. E como disse minha mãe, eu também peço a Deus que me dê este presente: poder ter meu filho nos meus braços no meu primeiro dia das mães. Será maravilhoso poder passar este dia especial e marcante nas nossas vidas. Primeiro por conhecer meu filho e segundo por ser dia das mães - diz Ingryd emocionada.