Vacinação só deve ser acelerada em Niterói a partir de março

Lote de 17,3 milhões de doses de Coronavac deve ser incorporado ao plano de imunização, mas prazo entrega é no fim de fevereiro


Coronavac está em produção no Brasil. Divulgação/Prefeitura de Niterói


Com estoques de vacina chegando ao fim em Niterói, a cidade tem poucas perspectivas de receber um lote expressivo de imunizantes antes de março. O Instituto Butantan espera entregar mais 17,3 milhões de doses da Coronavac até o fim de fevereiro, o que deve dar fôlego à campanha. Antes disso, a chande de estados e municípios receberem remessas espressivas de vacinas é muito baixa.


Leia mais: Vacinação será sofrida, mas deve chegar a 70% até o fim do ano, diz especialista da Fiocruz


A maior parte da produção nacional de vacinas, nesse momento, virá do Butantan, que recebeu, na última quarta-feira, Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) suficiente para produzir 8,6 milhões de doses da Coronavac. Outro carregamento de IFA está previsto para esta semana, com possibilidade de produção de mais 8,7 milhões de doses. A expectativa do laboratório é entregar o carregamento ao Ministério da Saúde até o fim de fevereiro.


"A próxima remessa do insumo concentrado está prevista para chegar no dia 10, com outros 5,6 mil litros, capazes de produzir novas 8,7 milhões de vacinas. Com estas duas remessas, o Butantan vai processar e envasar, ao todo, 17,3 milhões de doses do imunizante", informa o Butantan.


Só depois que as doses passarem pelos controles internos do Butantan, serão entregues ao Ministério da Saúde, que fará a partilha entre estados e municípios. O total de doses, no entanto, é quase três vezes maior que o primeiro carregamento da Coronavac, distribuído em 18 de janeiro, o que indica que a campanha deve ganhar novo ritmo.


Mais doses de Oxford/AstraZeneca em março


Já a vacina de Oxford/AstraZeneca produzida pela Fiocruz deve demorar um pouco mais para ser incorporada ao Plano Nacional de Imunização. Neste sábado, a Fiocruz recebe matéria-prima suficiente para a produção de 2,8 milhões de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca. O primeiro lote, com 1 milhão de doses, deve ser entregue na segunda quinzena de março.


"A partir do recebimento desses insumos, a Fiocruz tem previsão de entregar ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde (MS), em março, 15 milhões de doses da vacina. A primeira entrega, com 1 milhão de doses, deverá ocorrer na semana de 15 a 19 de março", informou a Fiocruz.


Ainda segundo a Friocruz, até junho serão enviados 14 lotes de insumo para a produção de 100,4 milhões de doses. Após a liberação de exportação pelas autoridades chinesas da primeira remessa de IFA, os demais embarques de insumo já têm os trâmites alfandegários garantidos.


© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.