Vacina liberada! Niterói começa vacinação na quarta-feira, dia 20

Atualizado: Jan 19

Secretaria de Saúde ainda não recebeu informações sobre a quantidade de vacinas reservada para a cidade mas conta receber 20 mil doses



ATUALIZADA EM 19/01/2021: A confirmação da quantidade de doses distribuídas pelo Ministério da Saúde levou as prefeituras e restringir a Fase 1 do Plano de Imunização. As primeiras doses serão inteiramente destinadas a profissionais de saúde da linha de frente, idosos em casas de repouso e pessoas com deficiência em instituições. A vacina NÃO estará disponível em postos e unidades de saúde neste momento. Clique e saiba mais.


Temos vacina! A Anvisa liberou neste domingo o uso emergencial da Coronavac e da vacina da AstraZeneca/Oxford contra a Covid. O Ministério da Saúde pretende distribuir 6 milhões de doses da Coronavac nesta primeira etapa do Plano Nacional de Imunização, na quarta-feira (20). Mas dificilmente vai conseguir evitar que o governador João Dória retenha parte do estoque para iniciar antes a vacinação em São Paulo.


Leia mais: Do Butantan a Niterói, veja o que falta para o início da vacinação contra a Covid-19 na cidade


A votação foi transmitida pelas redes sociais e acompanhada por sites, jornais e tvs, ao vivo, algo inédito na história da Anvisa. A reunião aberta pelo presidente da Anvisa, Almirante Antônio Barra Torres, começou com a apresentação de relatórios das áreas técnicas. Pouco depois das 15h, o colegiado aprovou por unanimidade o parecer favorável à autorização de uso emergencial das vacinas. A Gerência Medicamentos, a Gerência de Monitoramento de Produtos, responsável pelo plano que vai monitorar possíveis efeitos adversos, e também a Gerência de Inspeção e Fiscalização Sanitária, que analisa as instalações em que as vacinas serão fabricadas.


Na sequência, os diretores da Anvisa votaram pela aprovação das vacinas. A primeira foi a relatora dos pedidos, Meiruze Freitas, servidora de carreira da Anvisa e especialista em tecnologia farmacêutica, que recomendou o uso emergencial da Coronavac e da Oxford/AstraZeneca. Mas fez ressalvas, diante da falta de informações acerca do tempo de proteção assegurado pela vacina Coronavac. Com relação à vacina Oxford, os técnicos disseram que o fabricante não forneceu dados suficientes para comparar a capacidade de gerar anticorpos no produtor fabricado pela Insituto Serum, na Índia, que serão usadas no Brasil, e as vacinas produzidas no laboratório AstraZeneca.


Leia mais: Veja o avanço do número de mortes por Covid em Niterói


As duas vacinas analisadas apresentaram estudos de sua fase 3 no Brasil e reportaram eficácia no combate ao Coronavírus, acima de 50%. No caso da AstraZeneca/Oxford, 75%, no caso da Coronavac, 50,38%. As duas vacinas registram 100% de sucesso na ocorrência de casos graves e mortes.


A vacinação em Niterói


A Secretaria de Saúde de Niterói trabalha com a expectativa de receber 20 mil doses da vacina, destinadas a profissionais de saúde e idosos abrigados em casas de repouso. Mas nem o Ministério da Saúde nem a Secretaria Estadual de Saúde souberam estabelecer as quantidades destinadas ao município.


Veja também: Desafios agora são o negacionismo e as fake news, diz especialista da Fiocruz


Havia a expectativa de que Niterói pudesse receber até um número maior de vacinas, em função da população idosa, maior do que a média nacional. Mas o estoque disponível não será o mesmo que se considerava até o fim da semana. O Ministério da Saúde contava com 8 milhões de doses da vacina. O estoque da Coronavac e mais 2 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford, importadas pela Fiocruz. Mas a operação montada pelo Ministério da Saúde não deu certo.


Além disto, há outro fator de incerteza. O embate entre o Governo de São Paulo e o Governo Federal. A Secretaria de Saúde de São Paulo espera reter no estado 1, 5 milhão de doses da vacina, o que reduz ainda mais o volume a ser oferecido aos demais estados. Como as vacinas estão estocadas no Instituto Butantan, na capital paulista, o governo do estado pretende iniciar a vacinação imediatamente.


Leia mais: Às vésperas do 'Dia D', veja o que já se sabe sobre a vacinação em Niterói


A cidade conta com 100 pontos de vacinação para esta primeira etapa.


Cuidado com prevenção deve continuar


O Presidente da Anvisa, Almirante Antônio Barra Torres, sustentou na abertura da reunião, que, mesmo com o desenvolvimento de vacinas, a vitória sobre o novo Coronavírus passa pela "mudança de comportamento social". A declaração foi dada na abertura da reunião da Anvisa que aprovou o uso emergencial da Coronavac e da vacina AstraZeneca/Oxford. - O momento é de conscientização, união e trabalho. O inimigo é um só. A nossa chance, a nossa melhor chance nesta guerra passa, obrigatoriamente, pela mudança de comportamento social, sem a qual, mesmo com vacinas, a vitória não será alcançada -, declarou.

Apesar das recomendações da OMS para o uso de máscara; a higienização das mãos; e o distanciamento social, o Presidente Jair Bolsonaro não tem sido bom exemplo, critica o uso de máscara e promove aglomerações.

Na reunião deste domingo, o diretor-presidente da Anvisa disse ainda que o sentimento é de preocupação e solidariedade às famílias das mais de 200 mil pessoas que morreram vítimas da Covid-19 no Brasil. Barra Torres também mencionou a "gravíssima situação" do Amazonas, onde os hospitais estão superlotados e não há oxigênio suficiente para os pacientes. O pedido do Instituto Butantan se refere às 6 milhões de doses importadas da vacina Coronavac, produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac, as únicas hoje disponíveis no país e que também serão produzidas no Brasil. Já o pedido da Fiocruz é referente a 2 milhões de doses importadas do laboratório Serum, da Índia, que produz a vacina de Oxford e pelo laboratório AstraZeneca. A compra da Fiocruz, que deverá produzir a vacina no Brasil, não se concretizou até o momento. Na sexta (15), o grupo farmacêutico União Química informou ter pedido à Anvisa a autorização para uso emergencial da vacina russa Sputnik V. O pedido foi devolvido pela agência por falta de "requisitos mínimos" e não foi analisado na reunião deste domingo.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.