A namorada de Niterói

Uma crônica da cidade Por Luiz Cláudio Latgé Se há uma coisa certa na vida é que todo mundo já teve uma namorada de Niterói. Todo mundo, no caso, é quem mora no Rio, ou arredores - e a vizinhança às vezes te leva bem longe... É uma forma do carioca expressar a familiaridade com a cidade, que fica diante do seu nariz e ele pouco frequenta. Pode ser um tio, um primo, um amigo próximo que estudou na UFF. Mas a namorada, ou namoradx, sugere uma relação afetiva. Pela lupa do politicamente correto, a narrativa carrega uma certa arrogância de quem mora na Cidade Maravilhosa. Na falta de uma intimidade maior com a cidade, diz que o MAC é sensacional, ainda quer visitar. E que passa por aqui, sempre, a caminho de Búzios, pela Niterói-Manilha, confundindo a cidade com São Gonçalo. A namorada de Niterói, neste cenário, é a melhor referência. E a gente se deixa levar pela nova amizade, e quer saber quem era a moça, onde estudou, em que bairro morava, qual o sobrenome, porque em Niterói todo mundo se conhece... Não, não era a Luma de Oliveira, nem a Juliana Paes, nem a Sophie Charlotte...Foi muito tempo atrás... Lembra que ia numa praia bonita, lembra de um bar, de uma igreja... Não voltou mais, casou com uma moça da Bahia. Niterói lembra um pouco a Bahia, não lembra?, ainda arrisca, bem perto de perder o novo amigo... Tocamos a vida assim, unidos pela ponte, e pela paisagem. Não sabem que a nossa vista é muito mais bonita. De vez em quando nos cruzamos no caminho. Nos últimos anos, nossa autoestima melhorou um bocado. Passamos a ter mais do que nos orgulhar, além do Mineirinho, do Gérson e do Torben. A cidade tem o melhor IDH do estado. Boas escolas, a UFF, tem ruas limpas, as praias todas... Camboinhas, então, só tem carro do Rio. Agora eles que ficam no engarrafamento no fim de semana para vir para cá. Até ganhamos o carnaval!!! Não queremos sair daqui. Com o Rio tão perto, escolhemos ficar em Niterói. Aconteceu assim: eu tinha uma namorada que morava em Niterói...

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.