Arsenal contra Covid: máscaras, termômetros, tapetes sanitários, marcas de distanciamento…

Novo normal trouxe novos equipamentos e até criou profissão: agente de desaglomeração Controle de temperatura e lotação na entrada do Plaza Shopping. Fotos: Divulgação À medida que as atividades vão sendo retomadas na cidade, com a abertura parcial do comércio, liberação de esportes ao ar livre, acesso aos parques, chamam a atenção as normas e equipamentos que vão fazer parte das nossas vidas neste período batizado de novo normal. Máscaras, termômetros, tapetes sanitários, marcas de distanciamento, contadores de lotação e… álcool em gel, por toda parte. A pandemia ainda impõe restrições e provavelmente será assim até a descoberta de tratamento ou vacina capaz de controlar o coronavírus. Nos mais de cem dias de isolamento, nos acostumamos a lidar com as medidas de restrição de atividades, higienização, bloqueios. Na abertura dos shoppings, foi possível ver todo este arsenal reunido, quase que um mostruário dos equipamentos contra a Covid. Horários: A primeira novidade está na abertura das portas. Os shoppings funcionam, nesta etapa, em horário reduzido, das 12h às 20 horas. No Plaza, foram criadas portas diferenciadas, para entrada e saída, para evitar o contato dos visitantes. Contadores de público: Praticamente todas as atividades liberadas estão condicionadas a operar com controle de lotação, no caso dos shoppings, ocupação de 50%, para evitar aglomerações e o contato físico. Na porta do shopping há controle de acesso, o que se repete até nos parques da cidade, como o Campo de São Bento. Na porta de entrada haverá sempre um responsável pelo controle, um personagem novo em nossas vidas, batizado no decreto que define as regras do novo normal, como agente de desaglomeração. Medição de temperatura: A medição de temperatura deve ser feita logo na entrada. A temperatura é tomada por termômetros digitais ou por imagem de calor, num equipamento parecido com o celular. A OMS indica que a temperatura de referência para Covid é de 37,5 graus, a temperatura que os termômetros mais antigos, de mercúrio, indicavam como referência de febre. A pessoa com registro de febre não deverá entrar em locais de concentração. Máscaras e álcool em gel: O uso de máscaras é obrigatório na cidade, em qualquer situação, e a sua ausência é passível de multa. Ninguém entrará em mercado, loja ou shopping sem máscaras e esta responsabilidade é atribuída ao estabelecimento, que deverá cuidar para que seja cumprida. Os locais de circulação pública devem oferecer, logo na entrada e em lugar de fácil visualização e acesso, álcool em gel para a higienização das mãos. Tapetes sanitários: Ainda não existem cabines eficazes para a higienização, mas os tapetes sanitários estão sendo adotados em todos os lugares do mundo para a limpeza dos sapatos, como o álcool em gel na limpeza das mãos. Marcação de distanciamento social: Os locais de espera, diante dos estabelecimentos, e as zonas de circulação dentro das lojas devem oferecer marcação do distanciamento social, 1,5 m em lugar aberto, 2 m em lugar fechado. O mesmo cuidado deve se repetir nos pontos de entregas de mercadoria, o serviço de passe e pegue adotado em muitos restaurantes e também em lojas. Cabe ao comércio a tarefa de garantir que não haverá aglomerações. Por esta razão as praças de alimentação permanecem fechados. A tarefa é dos agentes de desaglomeração, que promovem anúncios e orientam o público e, eventualmente, desmancham a concentração.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.