Casos de Covid aumentam em Niterói depois da flexibilização do isolamento

Cidade teve a segunda pior semana em registro de novos casos e mortes voltam a assustar A redução do isolamento fez os números da Covid voltarem a crescer. Fonte: Dados da Prefeitura A retomada das atividades, ainda que parcial, com liberação da orla, abertura do comércio e dos shoppings, retorno dos parque fez os números de casos e mortes voltarem a um patamar que a cidade parecia ter deixado para trás. Na última semana epidemiológica, como os especialistas em Saúde Pública identificam os períodos do ano, a vigésima-sétima de 2020, Niterói registrou 901 novos casos da doença e 24 mortes. É o segundo pior resultado, nas quinze semanas que já dura a pandemia. Niterói chegou neste sábado, 04.07, a 5.839 casos confirmados da doença, com 218 mortes e 108 pessoas hospitalizadas. O Comitê que analisa a evolução da Covid em Niterói tem considerado bons os resultados das medidas de controle, e a baixa taxa de ocupação dos leitos hospitalares. Hospitais particulares já chegaram, inclusive, a desativar áreas exclusivas para o atendimento da doença, diante da redução do número de internações. As internações têm sido prolongadas, no caso da Covid, e às vezes os números que aparecem nos boletins refletem casos que estavam sendo tratados até há dois meses, casos graves e não casos novos. De acordo com a Secretaria de Saúde, o aumento do registro de casos, por sua vez, responderia ao aumento da testagem. A Prefeitura comemorou na última semana a realização de 35 mil testes - e tem a meta de fazer 50 mil exames, para entrar numa nova etapa de acompanhamento remoto dos doentes, uma situação em que a identificação precoce dos casos permite reduzir o índice de contaminação por portador da doença. Apesar de todas estas ressalvas, o número é preocupante, porque começa a retratar a situação gerada pela flexibilização das regras de isolamento. As piores semanas em termos do registro de novos casos foram a vigésima-segunda, 880, e a vigésima-terceira, 993. Houve queda nas três semanas seguintes, mas agora o número se aproxima das piores marcas. No caso dos óbitos, a pior semana foi a vigésima, durante a Semana Santa, em maio, com 28 mortos. A vigésima-terceira, 26, e a vigésima-quarta, 24, mantiveram a média elevada, mas a taxas haviam caído nas últimas semanas, resultado do lockdown. As 24 mortes representam uma média de 3,5 mortes por dia, contra 2,5 nas semanas anteriores. Nos bairros, os índices seguem a tendência das últimas semanas. Icaraí ainda concentra a maior parte dos registros, 758 casos, o Fonseca, segunda região mais populosa da cidade vem em seguida, 646 casos, depois Barreto, 414, Santa Rosa, 382, e percebe-se um notável crescimento em direção a Pendotiba e Região Oceânica. Piratininga já tem 273 casos e Itaipu, 169. Número de mortes na semana voltou ao patamar de 3,5 por dia. Fonte.: Dados da Prefeitura

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.