Cine Arte UFF promove sessões online de filmes seguidos de debate

As transmissões acontecem toda quinta pelas redes sociais do Centro de Artes UFF Por Lívia Figueiredo O Centro de Artes UFF, em Icaraí Enquanto não há previsão de reabertura das salas de cinema da cidade devido à pandemia, os niteroienses podem matar um pouco da saudade do Cine Arte UFF no conforto de suas casas. O encontro tem data e hora marcadas, como era de costume no modelo presencial. Os filmes são exibidos toda quinta-feira, geralmente às 19h, pelas redes sociais do Centro de Artes, seja pelo YouTube ou pelo Facebook. Até o momento, já foram transmitidos 21 filmes, todos nacionais. Os cine debates começaram a ser realizados no dia 30/04, inicialmente toda quinta-feira às 18h. No entanto, o horário teve de ser modificado para alcançar uma maior adesão do público e uma transmissão com mais estabilidade. O projeto é organizado por Lívia Cabrera, chefe de divisão do Cine Arte UFF, junto do programador da instituição, Paulo Máttar, e do Coordenador de Artes, Pedro Gradella. Para conferir a programação, basta acessar a página do Centro de Artes UFF, no Facebook ou no Instagram. Os interessados também podem conferir a divulgação dos filmes através do grupo Cine Arte UFF, no Facebook. Na sequência da exibição, o público é convidado a participar do debate online com diretores, produtores, jornalistas ou professores da instituição através dos canais de chat no Youtube ou através da página do Centro de Artes UFF do Facebook. De acordo com Lívia Cabrera, o projeto é fruto da colaboração de distribuidoras, produtoras e Cine Clubes, utilizando um pouco da expertise do Cine Arte UFF. Até o momento, a recepção do público tem sido boa, o que provocou um aumento dos seguidores nas redes sociais do Centro de Artes UFF. O projeto busca priorizar os filmes nacionais que foram exibidos apenas em festivais ou que ainda não entraram em circuito, como é o caso de “Clementina”, da diretora Ana Rieper, “Partida”, de Caco Ciocler, “Cores do Divino”, do Victor Costa Lopes e “Tokio Mao”, de Marina Pessanha. Também são transmitidos filmes nacionais já exibidos nas salas de cinema, que merecem mais visibilidade, e outros que não conseguiram espaço na época para entrar em circuito e agora, com a possibilidade de serem transmitidos virtualmente, funcionaram na programação. De um modo geral, o perfil que o cinema busca traçar é bem diverso, onde o experimental e os filmes comerciais coexistam. A intenção do cine debate é que o público possa desfrutar um pouco da experiência coletiva do cinema, agora, de forma virtual. - O cinema é uma experiência individual e coletiva ao mesmo tempo. A nossa ideia, desde o começo, é simular a experiência da coletividade, que foi perdida com o fechamento das salas. Durante a exibição, as pessoas podem acompanhar a reação imediata do público através dos comentários do chat e interagir - explica Cabrera. Embora os filmes não estejam arquivados nas redes sociais do Centro de Artes UFF, um compilado com todos os debates está sendo organizado e ficará disponível no canal do Youtube da instituição. Alguns dos filmes que foram exibidos ficarão disponíveis em outras plataformas de streaming e sua divulgação será feita futuramente. Para a sessão desta quinta (24) às 19h, está programada a exibição do filme nacional “Café com Canela”, de Glenda Nicácio e Ary Rosa. A transmissão contará com legendagem descritiva/LSE e será seguida do debate “Do luto à luta”, com a participação de Uriel Pinho, documentarista e pesquisador do Programa de Pós-Graduação do Cine/UFF, Barbara Breder Machado, professora do Departamento de Psicologia da UFF, e mediado por Naira Évine, documentarista e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação Cine/UFF. Já na próxima quinta (01/10), será exibido o filme “Cleópatra”, de Julio Bressane, e o debate contará com a presença do diretor.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.