Conheça os riscos de contaminação pela Covid em Niterói

Ônibus, lojas, restaurantes, academias… Saiba quais atividades oferecem mais ou menos possibilidade de contágio Usar transporte público, como as barcas, é um dos fatores de risco alto Com a flexibilização do isolamento social, que nesta quarta-feira (29) era de apenas 42,7% em Niterói, é bom ficar atento aos riscos de contaminação pela Covid-19 nas inúmeras atividades agora já permitidas. Segundo especialistas, enquanto não houver uma vacina testada e com eficácia comprovada, o risco de infecção pelo coronavírus continua alto e varia de acordo com os cuidados sanitários tomados por cada pessoa e por cada estabelecimento, além da carga viral e da situação da pandemia em cada bairro, município ou estado. Mas a opinião consensual de especialistas de diversas instituições do Brasil e de outros países é que o nível de risco para a Covid-19 varia também de acordo com a atividade. E pode ser classificado como: baixo, médio e alto. Na listagem a seguir, considera-se o risco de atividades ditas opcionais. Muitas pessoas estão trabalhando e têm necessidade de se locomover e frequentar lugares públicos. Nestes caso, a recomendação é conhecida: respeito rigoroso às normas de distanciamento, uso de máscaras e higienização constante. Risco baixo Atividades ao ar livre Ao fazer exercícios individuais ao ar livre, o risco de contaminação tende a ser baixo. Mas se houver aglomeração em volta, a probabilidade de contrair o vírus já aumenta. Mantenha distância a todo custo, mesmo caminhando em calçadões, praias e parques. Também nos esportes coletivos, mesmo ao ar livre, o risco só é baixo se não houver contato com outras pessoas e se for mantida a distância mínima de dois metros entre elas. Por isso especialistas recomendam que, para fazer o exercício individual ao ar livre, você deve escolher horário e locais com menos aglomeração. O uso da máscara e de álcool em gel é altamente necessário. Risco médio Ir a shoppings, lojas e supermercados Entrar nesses lugares oferece um risco médio de contaminação por causa da concentração de pessoas. Escolha horários em que fiquem mais vazios, evite corredores ou lojas com um número maior de clientes, prefira os estabelecimentos que controlam o número de pessoas no seu interior e use sempre máscara, além de passar álcool em gel depois de manusear produtos ou dinheiro e cartão de crédito. Se a loja ou o supermercado estiver cheia ou com filas, não entre e espere um horário em que esteja mais vazio. Ir a salões de beleza ou barbearias Nesses casos o risco pode ser médio se o atendimento for realizado com hora marcada, a distância mínima entre as cadeiras for respeitada, clientes e funcionários usarem máscaras e o ambiente for o mais ventilado possível. O risco nesses lugares passa a ser alto se o cliente ficar muito tempo lá dentro e, claro, se houver muita gente sendo atendida ao mesmo tempo. Exija o uso de todos os equipamentos de proteção tanto por parte dos funcionários como dos outros frequentadores. Visitar parentes O risco varia de médio a alto, dependendo de quantas pessoas vivam na casa e do quanto todos estão respeitando de fato o isolamento social ou não. Se apenas uma das pessoas da família, ou mais, estiver tendo de sair para trabalhar, o risco já passa de médio para alto. Só é seguro quanto todos os parentes que você visita ou que te visitam estão de fato em isolamento há pelo menos 14 dias. De qualquer forma, é preciso manter distância, não ter contato físico, usar máscaras e lavar bem as mãos e/ou usar álcool em gel. Também é recomendado, pelos especialistas, que se tire o sapato antes de entrar na casa. Consulta médica O risco é médio principalmente por causa do tempo de espera e da possibilidade de haver outras pessoas no mesmo ambiente. Ideal é marcar horário e exigir do profissional que respeite o horário agendado e evite aglomerações na sala de espera. Se houver mais gente esperando e a secretária, por exemplo, veja se pode dar uma volta e voltar mais tarde. Também é importante que todos usem os equipamentos de proteção. Sala de espera cheia eleva muito o risco de contaminação. Ir à praia Só está permitido hoje para a prática de exercícios, mas é preciso evitar aglomeração e mesmo proximidade de outras pessoas. Quando há banho de mar e de sol, as pessoas tendem a ficar mais tempo na praia, o que aumenta o risco. Risco alto Ir a restaurantes fechados Em ambientes fechados a carga viral tende a aumentar, e o risco é mais elevado se houver muitas mesas ocupadas. O distanciamento e a capacidade reduzida de atendimento têm de ser observados, além do uso de álcool em gel e dos equipamentos de proteção. É preferível, em restaurantes, quando houver, escolher mesas em ambientes mais arejados. O fato de se ficar muito tempo em um restaurante e de as pessoas tirarem as máscaras lá dentro também é fator que aumenta o risco. É recomendado permanecer o menor tempo possível e tirar a máscara só mesmo no momento de comer. Ir a bares O risco de frequentar bares é alto, segundo especialistas, porque nesses ambientes é mais difícil manter a distância. Se houver música alta, as pessoas também tendem a falar mais alto e até a tirar a máscara, o que eleva o risco de contaminação. Se houver consumo de bebidas alcoólicas, também é maior o relaxamento, que pode levar a uma redução dos cuidados sanitários. Para beber, só tirando a máscara, e se isso for feito sem distanciamento, o risco é alto. Ambientes abertos em bares são mais apropriados na pandemia. Ir à academia Também é alto o risco, segundo infectologistas, porque os ambientes costumam ser fechados e a permanência das pessoas lá dentro costuma durar pelo menos cerca de uma hora. Quanto menos tempo ficar, melhor. Também por causa do uso de equipamentos comuns e da divisão do espaço em ambientes fechados, o risco de contaminação é alto, mesmo com máscara. Usar transporte público Risco alto porque, em alguns casos, é impossível manter a distância mínima recomendada entre um passageiro e outro. Os assentos não são higienizados a cada troca de passageiros, o que é impossível ao longo do percurso de um ônibus, por exemplo. O tempo de permanência lá dentro também costuma ser de médio para grande, o que aumenta o risco de contaminação. Transportes públicos com janelas fechadas devem ser evitados; o ideal é que sejam bem ventilados. Especialistas recomendam que se use luvas porque pode ser impossível não tocar em corrimões, portas, etc. Ao sair, tire as luvas e lave as mãos ou use álcool em gel.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.