Covid já ocupa mais da metade dos leitos e UTIs privados de Niterói

Sindicato da rede particular informou 314 internações por coronavírus; Hospital do Ingá suspende cirurgias Por Luiz Claudio Latgé e Gabriel Gontijo Profissionais de Saúde atendem paciente de Covid internado no Antônio Pedro. Foto Divulgação/Arquivo O alerta apareceu no Rio. Um novo aumento do número de casos e internações, quando a Covid parecia dar mostras de uma redução do contágio. Na capital do estado, a ocupação dos hospitais da rede pública já passa de 94%. Os números também crescem em Niterói e, de acordo com o boletim divulgado pelo Sindicato dos Hospitais Privados nesta quarta-feira (18), existem, no momento, 314 pessoas internadas em leitos ou UTIS na cidade. Os números não consideram os hospitais da rede pública, geridos pela Secretaria de Saúde, que não informa o número de pacientes nem o de leitos. Leia também: cientista da USP diz que país já vive segunda onda de Covid O relatório do SINHLESTE é divulgado todas as quartas-feiras, desde o início da pandemia. No último, informa: número de doentes internados em leitos, 169 - o que representa 56% dos leitos reservados para pacientes com Covid; e número de doentes internados em UTIs, 145 - 52% das unidades reservadas para Covid. O Hospital Geral do Ingá divulgou comunicado em que informa que vai suspender cirurgias eletivas a partir da segunda-feira, 23 de novembro, por causa do aumento de pacientes de Covid e do risco de contaminação. O comunicado viralizou nas redes sociais e foi confirmado ao A Seguir: Niterói pelo diretor médico do hospital, dr. Luiz Otávio Nazar. Outras unidades hospitalares de Icaraí também já registram aumento das internações por Covid. Número de internações não subia tanto desde o pico da doença Desde o pico da doença, registrado em maio, junho e julho, Niterói não apresentava números tão ruins. Na primeira semana de agosto, eram 72 internados em leitos (24%) e 66 em UTIs (23%). No início de setembro, 55 nos leitos (18%) e 63 nas UTIs (22%). O número de internações se manteve estável em setembro, sempre abaixo de 30% de ocupação hospitalar. Na última semana do mês, eram 74 nos leitos (24%) e 52 em UTIs (18%). A piora coincide com a flexibilização das atividades a partir do fim de setembro e início de outubro. Coincide também com a campanha eleitoral nas ruas. O salto é de 126 internações, no total, para 314, em apenas um mês. A Secretaria de Saúde informa números divergentes de internações. Nos boletins diários que o Prefeito Rodrigo Neves exibe em suas lives e a assessoria de comunicação divulga no Facebook, seriam 95 pessoas internadas, nas redes pública e privada, um número que se mantém relativamente constante. No site oficial da Prefeitura, aparecem outros dados no relatório de monitoramento da Covid, que exibe uma planilha de 12 itens que retratam o estágio da doença na cidade. Nesta planilha, aparece, de acordo com o último relatório, datado de 13 de setembro, quinta-feira passada, 275 internações, somando-se as redes pública e privada, leitos e UTIs. A mesmo Prefeitura mantém ainda um gráfico de evolução da ocupação hospitalar no sistema de gestão da informação SIGeo, que reporta uma ocupação média de 32%, que não corresponde ao que os hospitais informam. A Secretaria de Saúde tampouco informa o número de doentes internados na rede pública. De acordo com a planilha de monitoramento da Covid, a cidade conta com 75 leitos do SUS destinados a pacientes com Covid e 113 vagas em UTIS. Segundo o último boletim divulgado pela Prefeitura, na terça, 17, Niterói registra desde o início da pandemia 15.987 casos confirmados de Covid, 503 mortos e 95 pessoas internadas. 'A questão não é o Hospital do Ingá' O comunicado que viralizou na internet era assinado pelo diretor médico e informava sobre a suspensão das cirurgias eletivas a partir da próxima segunda (23) no Hospital do Ingá. Ao A Seguir: Niterói, o médico Luiz Otávio Nazar confirmou a veracidade da informação e, de forma sucinta, afirmou que "a segunda onda voltou com força total" e que a cidade está um "caos". O comunicado é destinado a "todos os médicos, cirurgiões, staff e a população em geral" e diz que as cirurgias eletivas serão suspensas a partir da próxima segunda-feira em virtude da nova onda de Covid-19 que assola a cidade". Ainda de acordo com o Dr. Nazar, a questão envolve também outros hospitais da rede particular que se encontram em Niterói - A questão não é o Hospital Geral do Ingá. A questão é municipal. Todos os hospitais estão em capacidade quase máxima de ocupação de Covid. Eu só tomei a decisão acertada para evitar contaminação dos pacientes não infectados - afirmou o médico.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.