Direita bolsonarista discute união em torno de Jordy para Prefeito de Niterói

PSL, Podemos e PTC costuram aliança do grupo na disputa pela sucessão de Rodrigo Neves; Rayol e Deuler não estão descartados O deputado federal Carlos Jordy, do PSL, líder dos bolsonaristas em Niterói. Foto: Divulgação Falta a decisão do deputado Carlos Jordy (PSL-RJ), principal líder bolsonarista em Niterói e vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados. Em reuniões na terça-feira (1) e na quinta (3), dirigentes dos diretórios municipais do PSL, do Podemos e do PTC discutiram a possibilidade de unir forças e lançar a candidatura de Jordy a Prefeito de Niterói, apesar de o deputado ainda não ter se decidido. Tanto PSL como Podemos têm outros pré-candidatos, os delegados federais Deuler da Rocha e Antônio Rayol, respectivamente. Mas os partidos ainda não realizaram suas convenções, que oficializam as chapas, à espera de um acordo em torno de um nome forte da direita bolsonarista para disputar a eleição para a Prefeitura com mais chances. As candidaturas de Rayol e Deuler não estão descartadas, mas o nome de maior consenso é o de Jordy. O certo é que o grupo deve se unir. Jordy participou das duas reuniões, assim como o também deputado federal Felício Laterça (PSL-RJ). -Já há um consenso quanto à importância dessa união, que poderá resultar nas adesões de outras siglas para a formação de uma ampla frente partidária de centro-direita. Quanto à cabeça de chapa, ainda não fechamos questão se o nome será os dos delegados federais Rayol ou Deuler, ou do deputado federal Carlos Jordy, que se destaca como o mais competitivo - disse ao A Seguir: Niterói o presidente do Podemos, Pedro Castilho -Tudo está sendo avaliado com muita serenidade, afinal são três ótimos nomes, de pessoas altamente capazes de governar a cidade com muita austeridade e competência - completou. Na pesquisa do instituto Paraná Pesquisas divulgada na quinta-feira, Rayol aparece com apenas 2% das intenções de voto e Deuler da Rocha, também com 2%. Embora a campanha ainda não tenha começado e os dois sejam pouco conhecidos do eleitorado, são percentuais muito baixos para a grande concentração de bolsonaristas em Niterói. No primeiro turno da eleição de 2018, o hoje presidente Bolsonaro teve 53,40% dos votos válidos, chegando a 62,46% dos votos dos niteroienses no segundo turno. A pesquisa do instituto Paraná mostrou que o presidente ainda tem boa aceitação na cidade, hoje dividida sobre o apoio a seu governo. Segundo a consulta, 49,3% dos entrevistados disseram que desaprovam o governo Bolsonaro, enquanto 46% afirmaram aprovar sua gestão. Lideram hoje a disputa pela Prefeitura de Niterói, segundo a pesquisa, os candidatos Axel Grael (PDT), que tem o apoio do Prefeito Rodrigo Neves e de 14 partidos, e Felipe Peixoto, do PSD. Os dois aparecem tecnicamente empatados: Grael com 24,9% das intenções de voto contra 21,6% de Felipe Peixoto.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.