Empresa de ônibus de Niterói demite rodoviários por causa da redução de passageiros na pandemia

Categoria estava em negociação com a Viação Ingá para evitar demissão em massa Empresa Ingá começou a demitir funcionários, apesar de tentativa de negociação. Foto: Arquivo/Sintronac Cerca de 250 funcionários foram demitidos da Viação Ingá na manhã desta segunda-feira (31), denunciaram os trabalhadores. Desde a semana passada, a categoria está passando por negociações com o Ministério Público do Trabalho para, justamente, evitar as demissões em massa devido à crise causada pela redução de passageiros em meio à pandemia de Covid-19. De acordo com o Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac), será realizada uma reunião com a empresa ainda nesta segunda. As empresas já estavam ameaçando fazer corte de postos de trabalho com a justificativa de que a arrecadação diminuiu devido à pandemia e às restrições de circulação de passageiros. Conforme o Sintronac informou, as empresas já haviam sinalizado que iriam demitir cerca de 30% a 40% do quadro de funcionários até o fim do ano. Mas a rapidez nas demissões surpreendeu o sindicato e os trabalhadores. A categoria está passando por audiências entre os funcionários e os empresários, com intermédio do Ministério Público do Trabalho (MPT), para que sejam evitadas as demissões. Além disso, o Governo Federal já autorizou a prorrogação do auxílio emergencial, que compõe a maior parte do salário dos trabalhadores e desonera as empresas. A Ingá já estaria passando por uma crise há algum tempo. Em outubro do ano passado, foram demitidos 100 funcionários de um vez, algo em torno de 10% da folha de funcionários. Com mais esta demissão, de 250 pessoas entre motoristas, cobradores e funcionários administrativos, há a dúvida de qual será o impacto para os passageiros. - O sindicato está acompanhando o caso desde cedo e fará uma reunião com a direção da empresa para entender qual o motivo das demissões. A partir daí vamos tomar medidas justas, inclusive acionando o MPT - informou o sindicato.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.