Estado decide 'não fazer alarde' e enfrentar Covid com 'conscientização'

Governador Cláudio Castro diz que aglomerações provocaram aumento de casos mas descartou controlar bares, restaurantes e eventos Por Livia Figueiredo O Governador do Estado do Rio em exercício dá coletiva na tarde desta terça (24), no Palácio Guanabara / Foto: Reprodução da internet O governador em exercício, Cláudio Castro, se reuniu com seu gabinete, com prefeitos e secretários de Saúde das cidades da Região Metropolitana, preocupado com o aumento dos casos de Covid e internações hospitalares. Mesmo preocupado, não acredita numa segunda onda da doença. Por isso, não anunciou nenhuma medida de combate à epidemia. Disse que no momento "não há possibilidade de fechamento" de bares e outros estabelecimentos. E anunciou que vai combater a nova escalada do coronavírus com conscientização, testes e a criação de novos leitos hospitalares. Em entrevista coletiva, no Palácio Guanabara, ao lado dos Secretários de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves, e Fazenda, Guilherme Mercês, Cláudio Castro anunciou medidas de combate à pandemia da Covid-19. Disse que o Governo do Estado adotou três eixos para evitar a propagação e o aumento de óbitos: o aumento do número de leitos; a a realização de testagem máxima, com auxílio dos municípios e do governo federal; e o diagnóstico precoce com exame de PCR e imagem para diminuir a necessidade da internação, da utilização dos leitos e da ocupação em UPAs e hospitais. Segundo o Governador, no momento não há possibilidade de fechamento dos estabelecimentos, pois trata-se de "um período de conscientização". Ele afirma que foi feito um pacto público entre o Estado e as prefeituras para o aumento das regras de higiene, assim como toda a questão preventiva, fundamental para a contenção do vírus e para uma maior capacidade de atendimento. Castro informa ainda que a medida será observada por 15 dias, até uma nova avaliação da necessidade de outros reforços. - É assim, junto, não descuidando até que a vacina chegue. Não podemos baixar a guarda para a Covid. Ela não foi embora. Temos que ter muita responsabilidade e muito senso público. Abrimos mais 214 leitos hospitalares para a Covid. Em até 48 h a Secretaria de Saúde vai anunciar todos os postos de saúde para o diagnóstico precoce para as pessoas já irem para casa devidamente medicadas – afirmou. Castro reforçou que não se trata apenas de fechar e abrir. Ele disse que o trabalho em equipe deve ser priorizado e, por conta disso, está sendo feito um diálogo constante com o Governo Federal e os municipais. - Sabemos que esse fim de ano é um período importantíssimo para o turismo e para a economia, hotéis, bares e restaurantes. Estamos procurando ter um grau de responsabilidade enorme. O Rio de Janeiro é uma cidade de vocação para o turismo, de serviços. Nós não podemos fazer um alarme sem ter a certeza que estamos enfrentando uma segunda onda. Esperamos que não seja, mas também se for o caso, estaremos preparados – destacou. Castro afirmou que vai encontrar com prefeitos da Região Metropolitana para discutir como melhorar a fiscalização de locais com aglomeração, potenciais vetores de Covid, mas descarta a possibilidade de lockdown. Ele garante que a partir de agora a fiscalização será mais rígida em todos os grandes eventos dos próximos finais de semana e que a testagem em massa está prevista para ser realizada já na próxima semana. O Secretário Estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves complementou que a previsão é que essa testagem comece no hospital modular de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Quanto à vacina, Castro anunciou que a Secretaria de Saúde já está se planejando para que com a sua chegada, possa iniciar o plano estadual de imunização. Ele disse que o Estado vai comprar tudo que considerar necessário para que não tenha que comprar depois, de forma emergencial, ou acima do preço. Nesta segunda-feira, os hospitais do Estado do Rio suspenderam as cirurgias eletivas, ou seja, aquelas que não possuem muita urgência para abrir 214 novos leitos na rede SUS. Segundo o boletim emitido pela Secretaria Estadual de Saúde nesta terça (24), o Estado registra até agora 22.141 óbitos e 340.833 casos confirmados. Há ainda 355 óbitos em investigação e 2.243 foram descartados. Entre os casos confirmados, 313.028 pacientes se recuperaram da doença. Ainda de acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde, Niterói já soma 17.389 casos desde o início da pandemia e registra 554 óbitos. São Gonçalo tem 15.746 casos e 839 mortes; Itaboraí: 5.061 casos e 251 óbitos; Duque de Caxias: 11.508 casos e 829 casos mortes; Maricá: 4146 casos e 143 mortes; e Nova Iguaçu: 8.365 casos e 734 mortes. Atualmente Niterói apresenta uma taxa de 40% dos leitos ocupados, enquanto em São Gonçalo essa taxa já sobe para 80%.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.