Felipe Peixoto: ‘Estou na política para fazer as coisas pela cidade’

Candidato do PSD diz que seu maior legado será mudança radical no modelo de mobilidade Por Silvia Fonseca Felipe Peixoto em seu lugar preferido em Niterói: Itacoatiara, onde viveu Com apenas 9 anos de idade, Felipe Peixoto criou um comitê mirim do PDT para “trabalhar” pela campanha de Darcy Ribeiro ao governo do Estado do Rio. Surgia assim, em 1986, a paixão pela militância política. Felipe nasceu em Niterói em 1977, fez a educação básica na Aldeia Curumim e no Centro Educacional de Niterói. É formado em Administração pela UFF e em Direito pela Unilasalle, pós-graduado em Direito Público pela Escola Superior de Advocacia da OAB e tem MBA em Gestão de Projetos da Fundação Getulio Vargas (FGV). Foi subsecretário regional de Icaraí, secretário regional das Praias Oceânicas e vereador de Niterói por três mandatos consecutivos. Entre os projetos que apresentou estão a Lei do Estatuto da Bicicleta (primeira no Brasil que serviu de modelo para outros municípios), a Lei do Reúso das Águas Cinzas e a ação apresentada ao Ministério Público solicitando a anulação da cobrança irregular do foro e laudêmio na Região Oceânica. O resultado veio agora em 2020, com a conquista da suspensão da taxa que beneficiou não só o litoral de Niterói, mas de todo o Estado do Rio. Felipe foi também Deputado Estadual e Secretário de estado em duas pastas, e disputou duas vezes a Prefeitura de Niterói, em ambas chegando ao segundo turno contra o atual Prefeito, Rodrigo Neves. A primeira em 2012, quando recebeu 47,45% dos votos válidos. Em 2016, 41% dos válidos. No ano seguinte, o ex-deputado integrou a equipe da Coordenação de Integração Metropolitana da Secretaria de Urbanismo, Habitação e Infraestrutura da Prefeitura do Rio de Janeiro, à frente do desenvolvimento de diversos projetos de mobilidade. Em 2018 disputou uma cadeira na Alerj já pelo Partido Social Democrático (PSD), ficando como primeiro suplente. Em 2019 Felipe abriu a sua própria empresa e atuou desde então no setor privado, com assessoria e consultoria para soluções de cidades inteligentes. No mesmo período, foi professor convidado da pós-graduação em Administração Pública da UFF na disciplina Políticas Urbanas. A Seguir Niterói: Por que o senhor quer ser prefeito de Niterói? Felipe Peixoto: Ser Prefeito de Niterói é meu sonho desde criança. E hoje tenho muita tranquilidade em dizer que a minha vontade, essa minha persistência em querer ser Prefeito da cidade, tem um único objetivo. Não estou na política por dinheiro, não estou na política por poder. Estou na política para fazer as coisas para a cidade e para quem vive aqui. Eu quero ter a oportunidade de poder cuidar da cidade, cuidar das pessoas da cidade de uma forma muito especial. O meu sonho é poder administrar essa cidade cuidando de cada canto como um cantinho especial para as pessoas que vivem nela. O que, por sua formação, pode fazer pela cidade? Eu considero a formação acadêmica fundamental para quem quer realizar alguma coisa na vida pública ou na vida privada. Aliás, sempre tive a preocupação de conciliar a minha atuação na vida pública ou privada com o estudo. E graças a Deus, mesmo com a correria do dia a dia da vida de político e de gestor, consegui fazer duas faculdades, uma pós e recentemente concluÍ o MBA em Gestão de Projetos. E tudo o que aprendi na vida acadêmica tive a oportunidade de aplicar na prática, nas minhas atuações no Executivo e no Legislativo. Entendo que, para quem pretende administrar uma cidade, é muito importante a vivência nessas áreas, assim como ter mais de uma formação acadêmica. Com as experiências que trago na bagagem, até mesmo pelas formações que tive ao longo da minha trajetória, hoje estou totalmente preparado, pronto para dar conta da administração em qualquer segmento (ou qualquer esfera). Qual seu principal projeto? Nosso maior legado será uma mudança radical no modelo de mobilidade para a população, como detalhado no Plano de Governo. Queremos projetos modernos de transporte de média capacidade, terminais de integração com corredores exclusivos de ônibus e, especialmente, investimentos em soluções inovadoras de tecnologia voltadas para a mobilidade. E tudo isso sem esquecer, claro, do transporte não motorizado, com foco na caminhabilidade e incentivando o uso de bicicletas. Esses são os principais conceitos que a gente quer trazer para a cidade. Que marca gostaria de deixar para a cidade? A principal marca que queremos deixar para Niterói é uma cidade diferente do que ela é hoje. Uma cidade que tem um governo preocupado com a população e com a solução dos seus problemas, e não com a ambição de um projeto político pessoal ou para alcançar lugares maiores na política. Meu único objetivo é poder governar a nossa cidade para as pessoas que nela vivem. Uma cidade com real qualidade de vida para todos, onde as pessoas tenham condições de transitar nas ruas sem engarrafamento e com segurança. Uma Niterói em que as pessoas voltem a ter orgulho de viver e dizer: “Eu amo a minha, a nossa cidade”. Quem estará no governo com o senhor? O assessor, o colaborador mais próximo, a pessoa de confiança, os primeiro secretário que vai nomear? Eu e Bruno vamos governar juntos. Em momento algum discutimos divisão ou espaço no governo. Vamos buscar os melhores quadros para administrarmos a cidade. Tenho certeza que será um time de primeira linha, nunca visto em nossa cidade. Qual o seu lugar favorito em Niterói? Niterói tem muitos lugares especiais, lindos mesmo. Deus realmente caprichou na hora de esculpir a nossa cidade. O lugar que carrego no coração é Itacoatiara, bairro em que nasci, passei toda a minha infância e adolescência. Em Itacoa aprendi a pedalar, andar de skate, mergulhar, nadar, e é onde recarrego as minhas energias. Mas o melhor refúgio da cidade é o Recanto da Lagoa, um lugar especialmente privilegiado pela natureza e abençoado por Deus, extensão da Lagoa de Piratininga que há anos precisa de projetos de melhorias. Tenho parentes em Florianópolis e chega a doer ver como lá as lagoas da Conceição…

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.