Frases da semana, em Niterói

O que os niteroienses andaram falando na última semana Marilda Ormy, diretora do Theatro Municipal de Niterói “O que me empolga muito é o desafio do reinventar. [...] Eu vejo a cultura sempre se reinventando, só que de forma não presencial agora, nas redes sociais. Antes da pandemia, eu via a cultura da cidade muito empolgada, todo mundo falava comigo: ‘Marilda, que encanto, está bombando. Onde você vai tem coisa boa’. Eu acho que isso não esmoreceu, essa efervescência. Mesmo que possa haver desânimo, sinto que nós mesmos estamos nos levantando e fazendo acontecer.” Marilda Ormy, diretora do Theatro Municipal de Niterói, em entrevista para o jornalista Gustavo Lethier, no perfil @goldoniconecta, sobre as mudanças na programação de cultura na cidade devido à pandemia … “Existe uma tendência de divulgação de um protocolo simples. O comércio abriu com três regras básicas: higienização, distanciamento social e uso de máscara. Há uma ideia de que as escolas poderiam ter um funcionamento adequado a partir dessas regras, quando na verdade isso não é válido. Escolas são espaços de sociabilidade, socialização e interação. É com essa natureza que a gente tem que considerar a complexidade desses protocolos para as escolas.” Pesquisadora Ingrid D'avilla, uma das autoras do ‘Manual sobre biossegurança para reabertura de escolas no contexto da Covid-19’, que reúne normas e diretrizes para retomada das aulas em segurança, e coordenadora geral de ensino técnico da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) ... Ana Cristina Duarte na solenidade “O programa de cotas no serviço público de Niterói será mais uma oportunidade para criarmos justiça social e reduzir as desigualdades na nossa cidade.” Ana Cristina Duarte, do Fórum de Mulheres Negras, na solenidade em que o Prefeito sancionou a lei que reserva 20% das vagas em concursos públicos no município para pretos e pardos ... “No Brasil de hoje, dá para imaginar uma cena: o sujeito chega em casa e percebe que perdeu sua granada! A esposa tenta ajudar: Não esqueceu na padaria? Na farmácia? Já procurou no banheiro?” @WERNECKantonio, usuário do twitter, sobre granada encontrada na rua Ary Parreiras, em Icaraí ... “Você vê no Rio: esta semana saiu a notícia de que fecharam 1.500 bares e restaurantes, 14 mil desempregados. Niterói não está passando por isto. Porque o fechamento do Hipódromo, da Fiorentina, do Clube Naval tem um aspecto econômico, mas tem um aspecto intangível, que é a relação da cidade com estes lugares, é a perda da identidade da cidade. Imagina Niterói perder a dona Henriqueta (Gruta de Santo Antônio), o Seu Antônio, o Mário...?” Rodrigo Neves, prefeito de Niterói, em entrevista ao A Seguir: Niterói … “A nossa cidade vive muito de serviços e, principalmente, do comércio presencial. É importante que o niteroiense compre em Niterói, prestigie nossas empresas, porque isso fará com que deixemos a crise econômica de uma forma mais rápida” Giovanna Victer, Secretária da Fazenda de Niterói, em live da Prefeitura, ao comentar sobre o programa Supera Mais. ... “Parece clichê o que eu vou falar, mas a gente tem que conhecer o nosso passado para poder criar e entender o futuro. E Niterói é uma cidade muito importante para o cenário nacional. Foi uma das primeiras do país a receber o cinema falado, lá em 1929, já foi capital do estado, entre tantas outras coisas. Acho muito importante preservar a história da cidade” Luis Fernando Lima Nunes, administrador do grupo de Facebook “Era Uma Vez em Nictheroy” e morador da cidade há mais de 30 anos … “Muitos modelos de negócio se tornaram inviáveis na pandemia. Quem sobreviver economicamente a este evento certamente será mais resiliente e com maior capacidade de gerenciamento de crises. Não existem receitas nem atalhos.” Carlos Cova, economista e Doutor em Engenharia de Produção pela COPPE/UFRJ e CEO da Aleph Educacional, sobre o prejuízo que sofreu o comércio niteroiense durante a pandemia ... “Niterói vivia um bom momento cervejeiro, com muitas marcas e eventos. A pandemia nos deu um safanão. Adiamos por enquanto o projeto de ter um co-working e um espaço para cursos. Essa é a área que a Tatiana (mulher e sócia dele) mais gosta. Nesse período, ela aprofundou os estudos relacionados com cerveja. Eu, que sempre fui jornalista, estou atuando como empresário pela primeira vez.” Diego Verticchio, que abriu uma nova cervejaria, a Malteca, durante a pandemia em Niterói ... Bruno Serpa Pinto “O normal, antes da pandemia, era passar o dia inteiro na rua trabalhando e ir em casa para dormir. A pessoa não morava em casa. E hoje as pessoas se readaptaram para morar em casa e, inclusive, trabalhar em casa.” Bruno Serpa Pinto, presidente da Ademi (Associação das Empresas do Mercado Imobiliário) e CEO da Spin Inovações Imobiliárias, em entrevista ao A Seguir: Niterói

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.