Hospitais fazem campanha interna por doação de plasma para tratar pacientes de Covid

Objetivo é estimular colaboradores que tiveram doença a ajudar outros infectados no combate ao vírus O Hospital Icaraí: campanha para tratar pacientes de Covid com plasma. Foto: Divulgação O Hospital Icaraí (HI) e o Hospital e Clínica São Gonçalo (HCSG) realizam, nos dias 31 de agosto e 1 de setembro, campanha interna de doação de plasma do sangue de colaboradores que já foram infectadas pelo novo coronavírus. O plasma, ou soro convalescente, é um dos componentes do sangue coletado de pacientes que se recuperam da infecção causada por Covid-19. Esse soro apresenta elevado grau de titulação de imunoglobulinas (anticorpos) que, ao serem administradas em pacientes contaminados, oferecem imunidade imediata. O médico Daniel Thiengo, coordenador do Centro de Terapia Intensiva do Hospital Icaraí, explica que quando alguém entra em contato com o vírus, como no caso do Covid-19, o sistema imunológico produz anticorpos para combatê-lo. Esses anticorpos permanecem na parte líquida do sangue, que é o plasma, mesmo após o vírus já ter sido destruído e a pessoa não estar mais infectada. - Assim é possível coletar o plasma através de uma doação de sangue e utilizá-lo em outra pessoa que ainda esteja com contaminada, mas ainda não conseguiu produzir uma defesa adequada, fazendo com que os anticorpos da primeira pessoa (doador) combata o vírus que está infectando a segunda pessoa - explica ele. Daniel esclarece que, apesar de serem necessários mais estudos para uma afirmação conclusiva sobre o Covid-19, publicações recentes, a exemplo de um estudo americano divulgado no último dia 10 de agosto, tendem a mostrar um resultado positivo e eficaz para os pacientes que foram tratados com essa terapia. Segundo o médico, o Hospital Icaraí vem utilizando o plasma em casos selecionados, com apoio do serviço de hemoterapia e do Hemorio. Porém, de acordo com o especialista, os estoques desse plasma estão ficando cada vez mais baixos: - Por isso é de importância essencial essa campanha de conscientização para as pessoas que conseguiram vencer essa doença se tornem doadores do plasma, proporcionando ajuda clara para pacientes que ainda estão vivendo essa fase mais complicada. De acordo com Joaquim Gonçalo, supervisor de captação da Pro-célula, clínica responsável pela montagem da estrutura nos hospitais para que os colaboradores possam efetuar as doações, bem como pelo recolhimento da doação de sangue para fazer a separação do mesmo com o plasma, é necessário ter toda uma triagem prévia para a pessoa ver se ela se encaixa no perfil de doador. - Antes mesmo da doação efetiva, se a pessoa se enquadra, ela terá que passar primeiro por uma coleta de amostra do plasma, a fim de ser testado quantitativa e qualitativamente o número de anticorpos. Posteriormente a esse resultado, agendaremos a coleta do plasma convalescente - explica.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.