Hospitais privados de Niterói têm taxa de ocupação abaixo de 50%

Prefeitura não informa, porém, qual é a situação dos leitos da rede pública Por Carolina Ribeiro Mesmo com o número crescente de casos de Covid-19 e a quantidade de pessoas hospitalizadas com a doença continuar subindo em Niterói, a taxa de ocupação dos leitos nos hospitais particulares chegou a menos da metade da capacidade. Até esta terça-feira (9), quando a cidade registrou 3.656 casos e 121 hospitalizados, a taxa de leitos de UTI ocupados era de 45% na rede privada. Há pouco mais de um mês, a ocupação chegou a 94%. Segundo o prefeito Rodrigo Neves, os leitos públicos também estão com 50% da capacidade ocupada. Nos hospitais particulares da cidade foram disponibilizados 271 leitos de UTI, equipados com respiradores. Desses, 125 estão sendo utilizados por pacientes que apresentam sintomas da doença ou que já tiveram o resultado de seus testes de Covid-19 positivos. Isto é, cerca de 45% da capacidade total das unidades particulares. A ocupação dos leitos de enfermaria é ainda menor. Dos 291 quartos separados para o tratamento de Covid, 120 estão ocupados, ou aproximadamente 40%. Os dados começaram a ser divulgados no início de maio, quando a pandemia tomou força em Niterói. Na época, antes de o isolamento social restrito ser iniciado, o prefeito Rodrigo Neves apelava à população para que ficasse em casa para que os hospitais, públicos e privados, não entrassem em colapso como no caso de cidades vizinhas. Em pronunciamento nas redes sociais na noite desta quarta-feira (10), o prefeito informou, sem dar detalhes de números, que serão ampliados os leitos públicos hospitalares e que a taxa de ocupação, em média, é de 50% - entre enfermaria e UTI. Ao todo a cidade conta com 226 leitos. Já na rede privada, a ocupação de leitos de UTI chegou a 94% em 5 de maio. De lá para cá, a ocupação vem diminuindo a cada semana: 83% no dia 12; 70% no dia 26; e 51% no dia 2. O levantamento é realizado toda semana pelo Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde de Niterói e São Gonçalo (Sindhleste) nas dez unidades particulares da cidade que atendem pacientes com Covid-19. Este dado, aliado à curva de crescimento de casos e óbitos, é parte da medição responsável por endurecer ou afrouxar o isolamento social no município.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.