Mais uma semana de números ruins, em Niterói: 500 casos e 18 mortes

Índices se mantêm sem melhora há cinco semanas; já são 367 óbitos na cidade O Boletim da Prefeitura deste sábado,29: já são 10.540 casos da doença A semana epidemiológica completada neste sábado, 29, a trigésima-quinta, voltou a registrar números de novos casos e mortes por Covid que não deixam Niterói sair do estágio de Alerta Máximo, Amarelo -2. Os números das últimas cinco semanas são muito parecidos com os que a prefeitura divulgou nos boletins diários, esta semana: 500 novos casos e 18 mortes (nas semanas anteriores foram 17 mortes). A cidade permanece no que os cientistas chamam de platô, um cenário estável, porém, ainda com alto índice de transmissão da doença. Desde o início da epidemia, Niterói registrou 10.540 casos de Covid e 367 mortes, segundo os boletins diários divulgados pela Prefeitura, por data de notificação, como fazem a OMS, o Ministério da Saúde e a Universidade Johns Hopkins, na tentativa de acompanhar a rapidez da evolução da doença no mundo. A Prefeitura, no entanto, não totaliza estes números, apesar da cobrança do Comitê Científico por maior transparência na divulgação dos dados. A Secretaria de Saúde costuma advertir que estes dados muitas vezes se referem a casos passados, só agora notificados, e passou a publicar no Painel SIGeo gráficos com a análise dos casos por data dos sintomas. Este tipo de informações ajuda na pesquisa da doença, mas a Fiocruz alertou, recentemente, que a defasagem no lançamento dos números neste tipo de registro pode ser de 48 dias. No Painel SIGeo as informações sobre mortes estão quatro semanas atrasadas. A boa notícia é que a taxa de ocupação dos leitos nos hospitais públicos e privados continua baixa, em torno de 26%. Pelo último boletim da Prefeitura, 82 pessoas estão hospitalizadas, 142 têm a doença e estão em isolamento domiciliar. Na sexta-feira, o Prefeito Rodrigo Neves prorrogou as restrições nos acessos da cidade, com bloqueios de táxis e carros de aplicativo, controle de lotação e medição de temperatura. No entanto, não se manifestou sobre outras medidas de isolamento e sobre a volta às aulas. Pelo decreto em vigor, as aulas estão suspensas até dia 31 de agosto. O Prefeito renovou os bloqueios mas se omitiu sobre o funcionamento das escolas. Ele tem sido pressionado pelos donos de escola a autorizar a volta presencial das aulas do Ensino Médio, já liberadas pelo Governo do Estado a partir de 14 de setembro. Mas na última reunião do Comitê Científico, que reúne pesquisadores da UFF, UFRJ e da Fiocruz, o grupo desaconselhou a volta às aulas. Rodrigo Neves acompanha a planilha que serve de base para que a cidade possa mudar de estágio nas regras de isolamento. Mas nas últimas semanas, os números de casos e mortes indicam, como destacaram os cientistas, que o vírus ainda circula pela cidade. Em relação aos bairros, Icaraí, o bairro mais populoso da cidade, mantém a maior concentração da doença, 1.737 casos. Fonseca tem 1.096; Barreto, 798. Chama a atenção o avanço da doença na Região Oceânica. Piratininga já tem 474 casos, Itaipu 392. Itaipu já é, proporcionalmente, o bairro com maior taxa de Covid na cidade. Somados os bairros da Região Oceânica, são cerca de 1.000 casos da doença.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.