Niterói proíbe passeio de cães na Covid

Secretário de Ordem Pública diz que há tolerância para saída com animais só na calçada em frente de casa Foto: Mary com a shih tzu Dolly. Desde o anúncio de medidas de isolamento ainda mais restritas em Niterói, iniciadas na última segunda-feira, o assunto vem causando dúvidas entre os amantes de bichos de estimação. Muitos cães eram levados às ruas diariamente para fazerem suas necessidades. Mas agora, com o decreto municipal que prevê multa de R$ 180 reais para quem estiver na rua sem ser para saída essencial, como devem agir os donos de cães? As indagações foram parar até na Câmara Municipal de Niterói. Nesta terça-feira, o vereador Leandro Portugal (PV) encaminhou um ofício ao prefeito Rodrigo Neves solicitando a flexibilização das medidas restritivas para as pessoas que precisem sair com seus animais de estimação no entorno de suas residências. De acordo com o vereador, além de ser uma dúvida dele, seu gabinete também recebeu reclamações. ー Tenho animal de estimação e me deparei com a questão, além de diversos relatos de defensores e militantes da pauta animal que me procuraram com explicações técnicas, inclusive. Nosso gabinete encaminhou o ofício, e já tratei com o prefeito e sua assessoria, que está analisando a ponderação para adotarem as medidas possíveis nesse momento de crise ー informou o vereador, completando que não ir às ruas poderá resultar no desconforto do animal. O assunto preocupa ainda mais quem mora em apartamentos. A cadelinha Dolly, da raça shih tzu, costumava sair para passear e fazer suas necessidades todos os dias por Icaraí junto a sua dona, Mary de Fátima Nicolau Moreira Ormonde. Desde o início do isolamento, a rotina mudou e já preocupa Mary. ーA coitadinha custou muito a se adaptar para não sair de casa. Ela, inclusive, está ganhando peso, o que pode ocasionar problemas cardíacos. Acho que poderiam flexibilizar a medida, não só o fato de levarmos a cachorrinha à rua, como também a exposição dos idosos ao sol, pois sabemos que é prejudicial (não tomar sol) ー opinou. Também moradora de Icaraí, Berta Viana, de 74 anos, levava sua cachorrinha Pituca para passear algumas vezes por semana pelo bairro. Desde o início da pandemia, ela tem evitado sair de casa, mas deixa a cadelinha sair, quando está inquieta, com um funcionário de seu prédio: ー Tenho brincado muito com ela pela casa e no corredor do prédio, mas peço ao rapaz para ir um pouco na rua quando ela está muito estressada. Quando ela volta faço uma boa higienização nela, pois não sabemos como esse vírus age. Mas não sei se deveriam flexibilizar o isolamento, pois daqui a pouco estarão todos saindo de casa para passear com seus cachorros ー ponderou, completando que sua cachorrinha engordou durante o confinamento. Durante a Audiência Pública virtual “Lockdown em Niterói? Novas medidas de restrição de circulação”, proposta pelo vereador Leonardo Giordano (PCdoB) na última segunda, o secretário de Ordem Pública, Coronel Paulo Henrique de Moraes, foi questionado sobre o passeio com cães e informou que há tolerância. ーExistem cães que têm muita dificuldade de fazer suas necessidades no interior da residência. O aconselhamento é que tente em casa. Se não conseguir, que faça no quintal ou no playground. Se não conseguir nem assim, saia do prédio, mas apenas na calçada em frente, só para fazer as necessidades e retornar. O nosso objetivo é reduzir a circulação, não é para sair a passeio ー finalizou. Até o dia 15 de maio está em vigor a intensificação da restrição da circulação nas áreas e vias públicas e estabelecimentos de Niterói. Pessoas que estejam nas ruas, praias e praças públicas, com exceção para casos de deslocamento por força de trabalho, ida aos serviços essenciais e estabelecimentos autorizados a funcionar, como supermercados e farmácias, poderão ser multadas em R$ 180. O valor dobra em caso de reincidência.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.