Niterói só planeja reduzir isolamento depois do dia 21

Prefeito prorroga lockdown até dia 20 de maio. Mesmo com aumento de casos de Covid e mortes, anuncia que pode permitir esportes ao ar livre na semana que vem Por Carolina Ribeiro Foto: Prefeitura de Niterói Apesar de o número de casos confirmados de coronavírus ter subido de 1.063 na véspera para 1.115 nesta quinta-feira e o de mortos por Covid-19 ter ido de 53 para 58 em apenas 24 horas, o prefeito Rodrigo Neves anunciou a prorrogação do lockdown (confinamento) até a próxima quarta-feira, dia 20. A partir do dia seguinte, 21, a prefeitura vai liberar atividades esportivas nas praias, praças e ruas e afrouxar outras regras de isolamento. - Os países que venceram essa batalha com responsabilidade, combinando a ação de salvar vidas com apoios às famílias e a retomada das atividades, são aqueles que ficaram em 60 dias de isolamento. Vamos prorrogar a restrição até o dia 20. E iniciaremos no dia 21 a flexibilização das medidas de isolamento em Niterói - anunciou o prefeito em live nas redes sociais da prefeitura na noite desta quinta-feira. Segundo ele, a partir do dia 21 será permitido realizar atividades esportivas individuais, como caminhadas nos calçadões e areia da praia, sem aglomeração. Rodrigo Neves também anunciou a permissão para a reabertura, no mesmo dia, com protocolo a ser divulgado, de oficinas mecânicas, consultórios médicos e dentários e de comércio como lojas de material de construção. As barreiras sanitárias, porém, vão continuar depois do dia 21 e permanecerão por longo tempo, segundo ele. A cidade não voltará à normalidade de antes da pandemia até que se descubram remédios e vacinas ou que a expansão de disseminação do vírus seja totalmente controlada no município. - Vamos, provavelmente, até dezembro com um conjunto de medidas de restrição de circulação, de distanciamento social _ disse o prefeito, admitindo que outros setores também poderão ser liberados a partir do dia 21. Destacando que a quarentena já evitou “500 mortes” em Niterói e cidades vizinhas, como São Gonçalo, o prefeito prorrogou o chamado lockdown (confinamento) até dia 20, mas não explicou detalhadamente porque permitirá a volta de atividades como esportes ao ar livre a partir do dia 21. Apesar de os números de casos confirmados e de mortes por coronavírus em Niterói crescerem a cada dia, especialistas afirmam que, graças ao isolamento social implantado aqui desde meados de março, a curva da expansão da doença na cidade não está tão acentuada como em outros municípios do estado e do país. Os dados mostram que as medidas de combate ao Covid-19 adotadas em Niterói, como a restrição de circulação e os testes rápidos, estão surtindo efeito, dizem pesquisadores. Na última semana, entre os dias 6 e 13 de maio, o número de casos confirmados saltou de 527 para 1.063, um crescimento de 101%. Já o número de óbitos subiu de 33 para 53 no período, ou cerca de 70%. Mesmo que chamem atenção devido ao crescimento, esses números não significam, necessariamente, que os casos aconteceram neste período, segundo o professor Aluísio Gomes da Silva Júnior, diretor do Instituto de Saúde Coletiva (ISC) da Universidade Federal Fluminense (UFF). O especialista explica que há uma lentidão entre a realização do teste e o resultado do exame. Desta forma, óbitos confirmados esta semana, por exemplo, podem ter ocorrido há mais tempo. - Há muito exame em que a confirmação demora para sair. Por isso, é importante analisar a tendência da curva. Em Niterói, ela está aumentando, mas de forma mais suave do que em outros municípios, como São Gonçalo e o Rio, onde a curva está apontada para cima -, compara, acrescentando que a tendência aqui não é mais a de subir vertiginosamente. - Se as pessoas continuarem em casa, a projeção é que o número de casos não exploda como em outros municípios. As medidas de isolamento estão dando certo - enfatiza. Ainda de acordo com o especialista, se a curva de casos de Niterói continuar crescendo suavemente, como é esperado, e as medidas de isolamento forem cumpridas, a tendência é que o platô - quando a transmissão do vírus para de crescer e a curva tende a diminuir - aconteça em aproximadamente um mês. - Porém, se algo acontecer nesse meio tempo, a curva aponta para cima de novo - alerta ele. Um dos motivos apontados pela prefeitura para o aumento do número de casos é a testagem em massa, uma das medidas adotadas em Niterói. Em abril, foram adquiridos 50 mil testes rápidos, o suficiente para testar um em cada 10 habitantes. Apesar de parecer pouco para reduzir a subnotificação, uma realidade da pandemia no Brasil e no mundo, os estudos são feitos por amostragem e não há necessidade de testar a população inteira. - O teste rápido é para conhecer, com um pouco mais de segurança, a quantidade de pessoas contaminadas. Quanto mais teste realizado, maior segurança no resultado final. Mas 10% da população é um boa margem - finaliza. Professor do Departamento de Estatística da UFF, Wilson Calmon diz acreditar que a curva que está sendo estudada no Brasil, inclusive em Niterói, não é a ideal, justamente porque o número de pessoas que esperam dias para o resultado do exame de Covid-19 ainda é grande. Desta forma, resultados de semanas de contaminação distintas podem ser notificados ao mesmo tempo. Para tentar reduzir a subnotificação, a UFF dará início a um novo rastreamento. - Paralelamente à testagem em massa que a prefeitura está fazendo, a UFF solicitou a oportunidade de realizar um pequeno rastreamento de contato. A ideia é testar pessoas que tiveram contato recente com aqueles que testaram positivo. De forma geral, a ampliação de testagem vai gerar uma redução da subnotificação, a consequência natural será um crescimento no número de casos confirmados”, analisa. Os dois especialistas foram ouvidos pelo A Seguir: Niterói antes de o prefeito anunciar, no fim da noite desta quinta, o afrouxamento das restrições de circulação a partir do próximo dia 21.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.