Niterói tem 53 estátuas e bustos e nenhuma homenagem à mulher

Escultor Rodrigo Pedrosa quer fazer monumento a Aída dos Santos. Conheça as estátuas mais visitadas da cidade 1. Estátua de Arariboia, de Dante Crocce, inaugurada em 1965, na Praça Arariboia, no Centro. 2. Estátua de Caio Martins, de Honório Peçanha, inaugurada em 1941, no Complexo Esportivo do Caio Martins, em Icaraí. 3. Nossa Senhora Auxiliadora, de Luigi Del Po, inaugurada em 1900, no Monumento da Santa – Alto do Atalaia 4. Busto do Dom Pedro II, de Ugo Taoidei, inaugurado em 1925, na Praça Leoni Ramos, em São Domingos, no Centro 5. Ary Parreiras, de Onório Peçanha, inaugurado em 1946, na Praça Getúlio Vargas, em Icaraí. Apesar do rico acervo de estátuas e bustos em homenagem a personalidades que tiveram relevância em diversos momentos da história, nenhum dos monumentos espalhados por Niterói homenageia mulheres. São mais de 53 bustos ou estátuas de corpo inteiro, de acordo com o catálogo “Monumentos de Niterói”, lançado pela Fundação de Artes de Niterói (FAN). Foi pensando nisso que o artista plástico Rodrigo Pedrosa se propôs a fazer uma homenagem a Aída dos Santos, nascida no Morro do Arroz, no Centro de Niterói, e que mora até hoje na cidade, no Fonseca, aos 83 anos. Uma das maiores esportistas da história do Brasil, Aída alcançou o quarto lugar em salto em altura nas Olimpíadas de Tóquio, em 1964. Para a homenagem, Pedrosa já procurou a Secretaria Municipal das Culturas e a FAN, que confirmam o contato do artista e a possibilidade de viabilizar o monumento em Niterói. A Secretaria e FAN informaram que agora aguardam a formalização da proposta.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.