Niterói tem baixa ocupação de leitos públicos e privados para Covid

Na rede particular, apenas 39% das vagas em UTIs estão com pacientes Por Carolina Ribeiro Leitos no Hospital Oceânico, arrendado para tratamento de Covid-19 Divulgação/Prefeitura Mesmo que especialistas digam não poder afirmar que o pior já passou na pandemia de Covid-19 em Niterói, o cenário visto nos hospitais particulares e públicos não é o mesmo do que nos meses anteriores. Enquanto no início de maio a ocupação dos leitos exclusivos para tratamento de coronavírus chegou quase à sua totalidade, atualmente o número não passa da metade da capacidade total. Em pronunciamento nas redes sociais na quarta-feira (17), o prefeito Rodrigo Neves confirmou que é a menor taxa de ocupação dos leitos públicos e privados. Devido à alta procura, dez hospitais privados de Niterói disponibilizaram leitos exclusivos para tratamento de Covid-19. Só de leitos de UTI com respiradores, foram abertos 271. Desses, até o dia 16 de junho, estavam sendo usados 109, isto é, 39%. Já em leitos de enfermaria, o total é de 97 leitos ocupados dos 291 separados, cerca de 32%, segundo levantamento do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde de Niterói e São Gonçalo (Sindhleste). A maior taxa de ocupação divulgada foi registrada em 5 de maio, quando a cidade chegou a 94% dos leitos de UTI ocupados. Neste período, a cidade registrava 503 casos confirmados, 68 pessoas hospitalizadas já confirmadas da doença e 31 óbitos. Passado pouco mais de um mês, os dados mudaram bastante. Até quarta (17), Niterói havia registrado 4.139 casos confirmados, 169 óbitos e 120 pessoas estavam hospitalizadas. Em relação aos hospitais municipais, a prefeitura ampliou os leitos, chegando a 262, entre enfermarias e UTIs. Desses, 136 estão no Hospital Oceânico, na Região Oceânica, unidade que foi arrendada para o tratamento de Covid. De acordo com o prefeito Rodrigo Neves, 91 leitos estão ocupados. Taxa de ocupação abaixo de 50%. - [A ampliação] nos dá segurança e tranquilidade. A ocupação dos leitos do setor público na rede municipal é de menos de 50%, e com esta abertura hoje, de mais 36 leitos, chegamos a menos de 40% de ocupação. Estamos seguros do ponto de vista da retaguarda hospitalar - disse Rodrigo Neves Chama atenção que, mesmo com a diminuição da ocupação dos hospitais públicos e privados, o número de pessoas hospitalizadas com covid confirmado, segundo o boletim da prefeitura, tem sua maior média registrada. É superior a 120 pessoas há, pelo menos, duas semanas. De acordo com o prefeito, porém, há mais pessoas hospitalizadas com sintomas aguardando testes. No entanto, segundo ele, houve uma queda em relação aos dois meses anteriores. Niterói ultrapassou a margem de 3 mil pessoas recuperadas do Covid-19, são 3.010 curados. Dos 4.139 casos confirmados, 840 pessoas estão se tratando em casa com isolamento domiciliar e 120 estão hospitalizadas. São 169 óbitos. - São mais de 75% de pessoas recuperadas em relação aos casos. Isso significa que, provavelmente, temos o menor número de casos ativos em relação a pandemia das últimas seis semanas - disse o prefeito. Neves ressaltou ainda que a mudança de estágio laranja para amarelo 2 será definida em reunião da prefeitura na próxima sexta-feira (19). Neste dia, será feito estudo dos critérios de taxa de ocupação dos hospitais, casos ativos de coronavírus na cidade e número de óbitos. A previsão é que o estágio amarelo nível 2 seja aprovado, com início na próxima segunda (22). A expectativa é que o amarelo nível 1 seja adotado em julho. O prefeito também informou que estuda reabrir no amarelo 2 o Campo de São Bento, em Icaraí, e o Horto do Fonseca para a prática de exercícios. Autorização para feiras ainda não serão concedidas.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.