Niterói tem mais casos de Covid e também mais leitos

Número de infectados cresce, mas hospitais ampliam instalações Por Carolina Ribeiro Entrega de respiradores comprados da China no Hospital Oceânico. Foto: Divulgação O número de pessoas hospitalizadas com Covid-19 em Niterói não para de aumentar, batendo recorde a cada balanço divulgado pela prefeitura. Na última terça-feira (2), chegou a 114 o número de pacientes internados em leitos públicos e privados, quase o dobro de casos registrados há duas semanas: até o dia 20 de maio - um dia antes do isolamento social ser afrouxado - eram 61 internados. Por outro lado, a taxa de ocupação dos hospitais, tanto em leitos de enfermaria como de UTI, está reduzindo, principalmente por causa do aumento da capacidade de atendimento. De domingo (31) para terça-feira foram mais de 400 casos confirmados e mais oito mortes registradas, chegando a 3.117 casos e 123 óbitos, além dos 114 hospitalizados. Enquanto nos meses de março e abril, o número de hospitalizados oscilava entre 60 e 80, a partir do dia 20 de maio passou a aumentar disparadamente. Na data, eram 61 internados, subindo para 75 dois dias depois. No dia 27 de maio, já eram 92 hospitalizados, chegando a 102 já no dia 30 de maio. Durante os pronunciamentos sobre a pandemia em lives nas redes sociais, o prefeito Rodrigo Neves chegou a informar em algumas ocasiões que, apesar de o número de hospitalizados ficar em torno de 60 a 70 pessoas em leitos públicos e privados, este dado era referente apenas a pacientes com Covid-19 confirmados. Isto é, mais pessoas estavam internadas nos hospitais com síndrome respiratória grave, um dos sintomas causados pelo coronavírus, porém ainda aguardavam exames comprobatórios. No dia 13 de maio, por exemplo, a cidade registrava ainda 1.063 casos confirmados. Neste período, eram mais de 180 pacientes internados necessitando do auxílio de aparelhos para respirar, sendo 87 pacientes com Covid-19 confirmados. Nas últimas duas semanas, no entanto, este dado deixou de ser divulgado. A prefeitura de Niterói não respondeu se há uma razão para que o número de hospitalizados pela doença tenha quase dobrado em duas semanas. Também não explicou se o resultado dos testes de confirmação do Covid-19 estão saindo mais rapidamente, o que poderia estar provocando o aumento do registro de hospitalizados confirmados com a doença. Ocupação Na rede municipal, a prefeitura de Niterói não costuma divulgar dados detalhados sobre a ocupação dos leitos de enfermaria e de UTI de seus hospitais de referência para Covid. No entanto, o Executivo Municipal divulgou na terça-feira que ampliou a capacidade da rede para o atendimento dos pacientes graves de Covid-19. Hoje são 226 leitos exclusivos, entre enfermaria e UTI, com uma taxa de ocupação atual de 55%. Na última sexta-feira (29), mais 80 novos respiradores chegaram no Hospital Municipal Oceânico de Niterói, vindos da China. Por meio de sua assessoria de imprensa, o prefeito Rodrigo Neves afirmou que as medidas para aumentar a retaguarda de saúde, aliadas ao isolamento social e à restrição de circulação adotadas logo no início da pandemia na cidade, foram essenciais. - Desde o surgimento dos primeiros casos de Covid-19, Niterói vem se preparando para a pandemia, abrindo dezenas de leitos, adquirindo equipamentos de proteção individual para os profissionais e planejando o isolamento social. Nossas ações permitiram que a rede de saúde estivesse preparada para enfrentar a pandemia - afirmou em nota. Já na rede privada, são 10 hospitais atendendo pacientes com Covid-19. Dos 271 leitos de UTI reservados para a doença, 143 estavam ocupados até terça-feira, metade da capacidade total. Na semana passada, até o dia 27 de maio, a ocupação era de 194 leitos (70%), enquanto no dia 12, a taxa da UTI era de 83% (225). Há um mês, por volta do dia 5 - antes do setor privado separar mais 42 leitos de UTI -, 216 estavam ocupados, atingindo uma taxa de 94%. Já nos quartos de enfermaria, com 291 leitos disponibilizados no setor privado, a ocupação é ainda menor. Até terça-feira, eram 129 ocupados (43%), quando na semana passada eram 169 sendo utilizados (56%). A ocupação dos quartos já havia chegado a 80% no dia 5 - antes da ampliação de mais 8 leitos - e a 69% no dia 12. O Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde de Niterói e São Gonçalo (Sindhleste), que divulgou o balanço, ressaltou que a taxa de ocupação vem caindo e que todos os pacientes que procuram a rede estão sendo atendidos. Leitos serão ampliados caso haja necessidade, segundo o sindicato.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.