OMS: jovens terão de esperar até 2022 para receber vacina contra Covid-19

Cientista alerta que primeiro serão contempladas pessoas de grupos de risco Profissionais de saúde deverão ter prioridade na vacinação contra Covid Com o mundo em alerta por causa da segunda onda de contaminação por coronavírus na Europa, a Organização Mundial de Saúde (OMS) reafirmou nesta quarta-feira (15) a necessidade de se manter distanciamento social e demais cuidados sanitários, além de alertar que os efeitos de uma possível vacina devem demorar. A cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, afirmou que os jovens terão que esperar até 2022 para receber a vacina contra a Covid-19, já que a produção inicial terá de ser destinada prioritariamente aos grupos de maior risco. - As pessoas acham que no dia 1º de janeiro vai ter vacina e que as coisas voltarão ao normal, mas não vai ser assim. Ninguém jamais produziu vacinas nos volumes que serão necessários, então em 2021 esperamos ter vacinas, mas em uma quantidade limitada - afirmou ela. As mais de dez vacinas contra Covid-19 que estão sendo desenvolvidas no mundo, todas ainda em fase de testes, dificilmente terão a eficácia comprovada ainda este ano para entrarem em produção. Depois, a logística de distribuição é gigantesca para uma pandemia global. As vacinas também devem ter duas doses, o que exigirá uma complexa rede de logística, distribuição e aplicação, especialmente no caso de um país como o Brasil, de dimensões continentais. Especialistas têm afirmado que, em todo o mundo, há consenso de que os primeiros a receber a vacina devem ser profissionais de saúde, que estão na linha de frente do combate ao coronavírus. Depois deles, idosos e pessoas de grupos de risco deverão ter prioridade. - Uma pessoa jovem e saudável terá de esperar até 2022 para ser vacinada - disse a cientista.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.