Painel mostra Covid sob controle em Niterói

Número de casos e mortes tiveram pico em maio e estão em queda nas últimas semanas Os números são bons. Uma taxa decrescente de casos e um registro de óbitos que oscila entre um e três casos nas últimas semanas. Muito diferente dos números exibidos todos os dias pela Prefeitura, que na última semana epidemiológica, a vigéssima-sétima, apresentavam 901 novos casos da doença e 24 mortes. Dados que apontavam para o passado. Os registros, agora atualizados, são anotados de forma diferente: quando se trata de casos, por data de sintoma; e no caso de óbitos, não mais pela data de comunicação, mas pela data efetiva da morte. Depois de dois meses sem divulgar informações sobre a Covid no Painel do SIGeo, a Prefeitura exibiu nesta quarta-feira (8) novos gráficos sobre a doença, num formato que nunca havia disponibilizado. São registros de casos não pela data do exame, como aparecem nos boletins divulgados diariamente pela Prefeitura, mas pela data da ocorrência dos primeiros sintomas, conforme relato das pessoas testadas. A curva da doença mostra uma forte redução do número de casos, embora os boletins diários da Prefeitura continuem informando taxas elevadas de novos casos. Gráfico mostra que pico da doença aconteceu em maio e tem caído fortemente. Fonte:SIGeo/Prefeitura No caso das mortes, o gráfico também é diferente do que era disponibilizado até o início de maio, quando a doença começou a crescer e a Prefeitura parou de exibir os números. Pela nova série, é notável a redução da letalidade da doença. Na última semana, por exemplo, não houve registro de morte; na semana anterior, apenas um caso; três semanas atrás, apenas três mortes. Os números, tal como apresentados indicam que a doença está sob controle, como sustenta Nota Técnica do Comitê Científico que assessora a Prefeitura, formado por cientista da Fiocruz, da UFF e da UFRJ. Gráfico mostra que foram poucos os casos de óbitos nas últimas semanas. Fonte: SIGeo/Prefeitura Os dados são diferentes dos que eram usados até agora pela Prefeitura, pela Secretaria estadual de Saúde do Estado e pelo Ministério da Saúde, que registram os casos pela data de notificação. O ajuste dos dados, com a checagem das datas efetivas do óbito permitem uma visão mais precisa da doença, porque muitos casos antigos são confirmados com atraso, distorcendo a análise. Os dados apresentam uma ligeira diferença em relação ao que vinha sendo divulgado pela Prefeitura nos boletins diários. O número é ligeiramente maior no painel. Os boletins apontavam 226 mortos até a terça-feira (7). Na série divulgada nesta quarta, constam 232 óbitos. A mesma coisa acontece com relação ao número dos de casos. Nos gráficos do painel, são 6.701 casos; os boletins documentavam apenas 6.195. A Prefeitura não comentou os dados exibidos no painel, nem as diferenças dos números. A curva de casos pela data de notificação; dados diferentes da pesquisa pela data dos sintomas. Fonte: boletins da Prefeitura A Prefeitura registrou 24 mortes na última semana epidemiológica, de acordo com os boltetins diários da Prefeitura. Mas segundo o painel da SIGeo apenas um caso novo, todos os outros eram registros de mortes ocorridas no passado A Prefeitura não tem publicado os dados como prometia no início da pandemia. O Painel foi suspenso com alegação que seria revisto e voltaria ao ar, mas isso nunca aconteceu. No lugar das curvas que indicavam o crescimento da doença, crescentes, em maio, a Prefeitura passou a exibir, um mês depois, dados sobre o índice de isolamento na cidade, considerado o melhor do estado e a medição da presença no coronavírus em amostras de esgoto. Na segunda-feira (6), diante dos boletins que apontavam o aumento do número de casos da doença e óbitos, o Prefeito Rodrigo Neves determinou a publicação dos indicadores, o que só aconteceu agora, com a mudança dos parâmetros. O Comitê Técnico de assessoramento da Prefeitura também cobrou a divulgação dos dados. Leia também reportagem sobre cuidado nos transportes públicos.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.