Por causa da pandemia de Covid, eleição este ano não terá biometria

Tribunal Eleitoral suspendeu a identificação com dedos para evitar contágio e também recomenda que eleitor leve sua caneta Em meio à pandemia de Covid-19, a Justiça Eleitoral dispensou a biometria nas eleições deste ano por entender que o mecanismo de verificação de identidade iria gerar mais filas de eleitores. Um levantamento estatístico feito pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aponta que, neste pleito, a checagem biométrica gastaria mais da metade do tempo do eleitor para votar. Leia também: Eleitor de mais de 60 anos terá prioridade para votar Desta forma, o tribunal resolveu dispensar o uso do leitor da digital para dar mais vazão ao fluxo de eleitores. Além disso, outro motivo alegado foi a redução dos pontos de contato dos eleitores com objetos e superfícies e uma possível dificuldades de leitura das digitais que estivessem com resíduos de álcool em gel. Também é recomendável que o eleitor leve sua própria caneta. O uso de máscaras é obrigatório. Quem estiver sem o equipamento de proteção não poderá votar, segundo a Justiça Eleitoral. A distância mínima entre eleitores e mesários terá de ser mantida, assim como o uso de álcool em gel a cada procedimento é recomendado.

© 2020. A Seguir Niterói. Todos os direitos reservados. Site por Grazy Eckert e João Marcos Latgé.